OPINIÃO

​Prepare-se: Campanha no RN em 2022 será de embrulhar o estômago​

A julgar pelo tom e conteúdo das declarações de políticos que fazem oposição à governadora Fátima Bezerra​, a campanha de 2022 aqui no Rio Grande do Norte será feita com golpes abaixo da linha da cintura, como dizem. Suja mesmo para ir direto ao ponto. Claro, em todo o Brasil será assim, o bolsonarismo já tem o modus operandi de 2018 de redes de fake news e disparo em massa em grupos de zap. Mas, aqui na nossa província potiguar existem peculiaridades que merecem registro.​

Primeiro vamos aos fatos. Os dois ministros potiguares do desgoverno Bolsonaro, Rogério Marinho (Desenvolvimento regional) e Fábio Faria (Comunicações) vem gradualmente subindo o tom e descendo o nível quando se trata de opiniões políticas e referências à governadora Fátima Bezerra, adversária (ou inimiga) número 1 deles. Rogério ainda se esforça para manter o élan conquistado de “técnico” e “preparado”. Fábio, não. O filho de Robinson se entregou de corpo e alma à bajulação necessária para ser ungido pelo despresidente.

Há poucos dias Fábio disse que Fátima Bezerra é “cara de pau” e “mentirosa” por, segundo o próprio, atribuir ao governo estadual a compra de vacinas contra a covid-19, o que não se viu em nenhum lugar. O ministro também afirmou que o governo do Estado não repassou R$ 20 milhões em contrapartida para a obra da Barragem de Oiticica. O empreendimento recebeu visita técnica do governo federal e da comitiva do presidente Jair Bolsonaro. Enfim, Fábio já está em 2022, mais exatamente na campanha, no palanque, a exemplo de Jair, o presidente que não preside e em plena pandemia decide viajar fazendo campanha alegremente pelo país que soma meio milhão de mortos por Covid.

Temos ainda mais uma metralhadora verbal em curso. O senador Styvenson Valentim, eleito graças à fama conquistada como “xerife” da Lei Seca em Natal, declarou recentemente que “Lula é ladrão e Bolsonaro mentiroso”. Ou seja, cumpre seu papel de jogar para sua plateia eternamente antiPT e ainda volta munição contra o presidente em processo de desgaste, assumindo papel de “isento”, já que a garantia de estar no Senado até 2026 lhe dá muito conforto.

Styvenson, assim como Fábio e Rogério (na verdade um ou outro) sonham ou pelo menos anteveem a possibilidade de serem candidatos ao Governo do Estado em 2022. E sabem que precisam, mais que mostrar serviço, contrapor ideologicamente a Fátima. Fábio e Rogério ainda tem o plano B de saírem (um ou outro, claro) para o Senado.

Contudo, vamos às particularidades potiguares. Primeiro que o RN parece ter se tornado uma questão de honra para o Bolsonarismo, tanto pelo fato dos dois ministros estarem no Governo, como pelo simbolismo de Fátima, petista e adepta de todas as pautas progressistas e identitárias, ser a única mulher a governar um Estado brasileiro atualmente.

Outra particularidade é que campanhas envolvendo Fátima propiciam jogo sujo por parte do lado adversário. Ninguém em Natal se esquece do bordão repetido ad nauseum por Micarla de Sousa, “eu sou mãe, sou mulher”, em insinuação grosseira à vida pessoal de Fátima. Algumas eleições antes, a campanha de Wilma de Faria, com permissão ou conhecimento dela, jamais saberemos, também usou de expedientes homofóbicos. Nos dois casos Fátima perdeu.

Ou seja, a julgar pelo histórico local e pela campanha de 2018 com o bolsonarismo em pleno desespero, que nos preparemos para a enxurrada de fake news e grupos de zap com “campanha” feita nos gabinetes de ódio e no esgoto da web. Não se trata de exagero. Estamos no país em que um professor universitário que foi ministro da Educação e prefeito da maior cidade do país perdeu milhões de votos por causa das fake news que ele distribuiria “kits gay” em escolas e “mamadeiras de piroca” para bebês em creches.

Prepare o título de eleitor para votar consciente em 2022. Mas, prepare o estômago também. Com a conivência dos preguiçosos TRE e TSE, a campanha será de embrulhar o estômago. De dar nojo mesmo.

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *