CULTURA

Fachada do Teatro Alberto Maranhão se transforma em tela e exibe projeções 3D em homenagem ao RN

O centenário Teatro Alberto Maranhão se transforma em tela para breve e intenso espetáculo de imagens, luzes e sons. A projeção mapeada 3D encantou a todos que puderam acompanhar a reabertura do espaço, no dia 18, e será reapresentada nesta quinta-feira, 23 de dezembro, a partir das 19h, na praça Augusto Severo.

Saiba Mais: Primeiro espetáculo do Teatro Alberto Maranhão após restauração é dedicado aos responsáveis pela obra, os operários

O trabalho conta com trilha sonora do músico Eduardo Taufic e tem a direção assinada por Wil Amaral, especialista em projeções desse tipo. O planejamento e a produção se prolongou por mais de um mês e incluiu medição precisa da estrutura, fotos e modelagem.

“O diferencial da projeção no teatro é que ela foi muito detalhada. Pegamos cada pontinho da fachada e fizemos a modelagem em 3D, assim tivemos como pintar virtualmente cada ponto, cada arabesco, janelinha, foi um detalhamento muito elaborado, avançado. O efeito visual foi um dos melhores que já tivemos por aqui”, revelou o artista.

A princípio seria apenas uma projeção com efeitos visuais, mas a música de Eduardo Taufic mudou a concepção. A ideia foi apresentar o Rio Grande do Norte.

“A trilha foi concebida a partir de elementos do folclore norte-riograndense, mesclando o antigo e o moderno num passeio por temas consagrados no estado como Royal Cinema [Tonheca Dantas], Praieira [Othoniel Menezes] e Linda Baby [Pedrinho Mendes]”, contou Eduardo Taufic. “A execução se deu totalmente por mim, tocando todos os instrumentos, bem como os sons dos efeitos visuais. Uma parceria inédita com o mestre das projeções mapeadas Wil Amaral”, completou o compositor.

Segundo o diretor, a canção foi a chave para abrir a criação: “Eu me perguntei por que não contemplar também o nosso estado e as coisas que aconteceram e acontecerão no teatro? No primeiro momento o teatro homenageia o estado, com belas paisagens naturais e turísticas e teve um momento de homenagem às diversas artes apresentadas no palco”.

As imagens usadas são de Wil e dos arquivos da Fundação José Augusto, da Secretaria de Turismo e da Center Filmes.

Wil também disse que em 10 anos de atuação sempre trabalhou mais em outros lugares do país, mas recentemente fez Chuva de Bala, em Mossoró. A arte mostrava a igreja desmoronar virtualmente e ser reconstruída, passando a ideia da reconquista do povo de Mossoró contra o grupo de Lampião. “Foi uma cena bem impactante na fachada da igreja”, lembrou.

Ele também comentou o sucesso da projeção no TAM. “Eu me senti um artista pop star”, brincou. “A gente sempre posta o material feito e tem um feedback bacana, mas as pessoas ficaram encantadas com a pintura virtual do TAM e viralizou nas redes”.

Nesta quinta, o espetáculo na entrada antecede a Ópera “O Empresário”, do grupo Lyricus, de Mossoró, adaptada da obra do compositor Wolfgang Amadeus Mozart. A programação é gratuita.

Vídeo da projeção está disponível no Youtube:

 

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Isabela Santos é jornalista e repórter da agência Saiba Mais