DEMOCRACIA

Médico do RN se propõe a prescrever gratuitamente vacina contra covid-19 para crianças e pede que colegas façam o mesmo

Cumprindo o protocolo que favorece a contaminação, mais uma vez, o governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) se posicionou de maneira a dificultar a imunização, agora, do público infantil contra a covid-19. Desde que a vacina começou a ser aplicada em crianças por vários países e foi liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no Brasil, o presidente já disse que não havia mortes que justificassem a vacinação e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que os óbitos estão dentro de um patamar aceitável, o que foi rebatido pela Sociedade Brasileira de Pediatria.

Para atender sua base negacionista e, ao mesmo tempo, se proteger criminalmente, o governo decidiu dificultar e fazer duas exigências para permitir a vacinação das crianças contra a covid: prescrição médica e um termo de consentimento assinado pelos pais. Até o momento, 12 estados já se posicionaram contra a medida e não vão seguir a determinação do governo federal: Paraíba, Rio de Janeiro, Bahia, Ceara, Santa Catarina, São Paulo, Minas Gerais, Maranhão, Espirito Santo, Pará, Acre e Paraná. O Rio Grande do Norte decide sobre a questão essa semana.

Nessa última sexta (24), o Supremo Tribunal Federal deu um prazo de cinco dias para que o governo explique as exigências que dificultam a vacinação das crianças contra a covid-19. É nesse contexto que o médico potiguar Alexandre Motta decidiu se voluntariar para prescrever, de graça, a receita exigida pelo governo federal para a vacinação de crianças contra a covid-19.

Tenho conversado com outros colegas e pedido que façam a mesma coisa. Se proponham publicamente a fazer para dizer que, se essa infâmia passar, cada um de nós se compromete a prescrever a vacina de maneira gratuita para todo mundo, desde que solicitada pelos pais. Para ver se acaba essa insanidade de deixar a criança morrer por política”, reafirmou Alexandre Motta em entrevista à Agência Saiba Mais, que você confere a seguir:

Saiba Mais – Essa decisão de exigir prescrição médica parece dificultar a vida das pessoas mais simples. O senhor já tinha visto esse tipo de exigência para aplicação de qualquer vacina?

Alexandre Motta – Não, que eu conheça não há exigência do governo pra vacina em nenhuma circunstância. Há exigência para que se vacine e não para que a pessoa querendo se vacinar, haja um condicionante. Na verdade, o governo achou que tinha uma resposta para sua base militante e negacionista. Nem todo bolsonarista é negacionista, mas todo negacionista é bolsonarista.

Ele está dando uma resposta para sua base política, que sempre apostou na negação da doença e não é a primeira vez. Eles apostaram que a doença não ia chegar, em isolamento vertical, em hidroxicloroquina, ivermectina, na não vacinação de adultos e, agora, de crianças. A vacinação de crianças já está bem estabelecida com milhões de doses aplicadas em países que são reconhecidamente criteriosos no tocante à vacinação. As agências sanitárias norte americanas não podem ser acusadas de desleixo, inclusive, nós nos baseamos nas recomendações americanas exatamente porque eles são extremamente rigorosos. Quando um medicamento é lançado lá e é recomendado pelo FDA [Food and Drug Administration] ou pelas agências sanitárias do Estados Unidos ou Europa, serve como aval para as agências sanitárias do resto do mundo. A Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária] estudou, avaliou e viu que essa vacina já passou por todas as fases. Ela já passou pela fase 1, 2, 3 e está no que se chama de fase 4, que é aquela em que há aplicação e se tiver eventos adversos em níveis significativos, você suspende. Isso vale para todos os remédios! Até as outras vacinas que estão no mercado para outras doenças está nessa fase. Então, já se sabe que a vacina conta a covid-19 para crianças é segura e eficaz! A única coisa que o governo fez foi criar um embaraço. O ministro da Saúde disse: está liberado a partir do dia 10, desde que o médico prescreva.

“Na prática o que vai acontecer é que quem tem plano de saúde ou pode pagar consulta médica vai vacinar seu filho!”

É interessante que o governo colocou dois condicionantes: os pais têm que autorizar e o médico tem que prescrever. Mas os pais já autorizavam! Ninguém era vacinado sem autorização dos pais! São eles que levam, a criança não vai sozinha! Isso é um sofisma pra fingir que estão respeitando a opinião das pessoas sobre a vacinação de seus filhos.

O outro ponto é a prescrição. Médico nenhum vai avaliar se a criança deve ou não tomar vacina se a autoridade sanitária já disse que pode! Se ela garantiu que a vacina é segura e eficaz, porque o médico vai dizer que não faça? Qual o argumento técnico que ele tem para dizer que não faça? Na verdade, o que o governo fez foi criar um embaraço de imagem para dizer que a vacina é suspeita, mas ao mesmo tempo liberou! Na prática o que vai acontecer é que quem tem plano de saúde ou pode pagar consulta médica vai vacinar seu filho! Os filhos dos pobres, que têm mais dificuldade de acesso, pelos problemas que o sistema público de saúde já enfrenta, não ter mais dificuldades. É uma forma canalha de dificultar a vida das pessoas naquilo que a ciência já estabeleceu!

“Vacinação é para proteger as crianças, mas também os idosos e adultos”

As pessoas que defendem isso [prescrição para vacinar] são desinformados ou pessoas que não conseguem raciocinar além de duas linhas. Mas, a maioria das pessoas defendem e entendem o papel dessa vacinação, que é pra proteger as crianças, mas também aos idosos e pessoas que, de alguma forma, estão sujeitas ao vírus para o caso de circunstâncias em que a vacina não tenha surtido efeito. Com isso, vamos aumentar o percentual de pessoas vacinadas e o vírus vai parar de circular, porque ele só circula enquanto ele encontra pessoas que são imunes. É importante que as pessoas entendam que a pandemia só vai cessar quando tivermos um número substancial de pessoas vacinadas ou imunes. Vacinar as crianças hoje é contribuir para que menos crianças morram.

“O número de crianças que morreram por covid até agora não justifica a vacinação. Não justifica se não for seu filho, porque se for, a estatística pra você vale 100%”

Nas redes sociais, fui questionado sobre a estatística da covid-19 entre crianças. Teve um comentário modelo presidente, Herodes mesmo, que dizia não haver nível de morte suficiente nessa faixa etária que justifique a vacinação. Foram 300 e tantas crianças que morreram. O cara disse que essa não é uma justificativa estatística. Eu disse que não é, desde que não seja o seu filho! Porque nesse caso, a estatística pra você vale 100%! A vida de 300 crianças é muito valiosa para o país e ainda mais para seus familiares! Essa conta não pode ser feita, como o próprio ministro e o presidente aventaram, dizendo que não há número suficiente. Claro que tem! Uma única criança morta por um vírus que tem vacina e se pode prevenir, já justifica a vacinação em massa! Isso é óbvio em qualquer país civilizado, que não é o caso do Brasil hoje e desse governo que aposta na morte.

“A dificuldade só vai valer para os pobres”

Num dos comentários sem sentido que respondi, uma pessoa disse que a vacina era para beneficiar a indústria de medicamentos. Questionei se ele estava dizendo que os diretores da Anvisa tinham sido comprados para liberar a vacina ou se o ministro da Saúde o tinha feito porque também tinha recebido dinheiro. Na verdade, essas pessoas não sabem o que dizem. O que o governo fez foi dar uma resposta a sua base ideológica. Ele diz: eu libero, mas crio uma dificuldade. O que acontece é que essa dificuldade só vai valer para os pobres. Os caras que são antivacina e vão continuar ferrando seus filhos, também são antivacina contra pólio! Imagine, uma doença que aleija as pessoas!

“Até os governos militares de extrema direita compreenderam o papel da vacinação!”

Uma pessoa da minha idade foi vacinada contra a varíola, que foi erradicada do mundo graças as vacinas! O Brasil não tem casos de pólio há muitos anos! Até os governos militares, que eram de extrema direita, compreenderam o papel da vacinação! Até em outros lugares do mundo onde a direita ainda é forte, como em Israel, eles vacinaram todo mundo. Estão apostando, inclusive, já em doses de reforço porque é uma questão de segurança nacional! Eles não podem ter um país doente para se defender e isso deveria valer pra todo mundo! Nos lugares onde esse negacionismo se implantou, só está criando dificuldade para superar a pandemia, o maior exemplo são os Estados Unidos. Quem não se vacinou por lá foram os eleitores de Trump, que agora está indo para as redes sociais e televisão dizer que as pessoas devem se vacinar! Eles ficaram com a brocha na mão!

Esses insanos seguem uma narrativa caótica que é criada para fomentar nas pessoas dúvidas sobre aquilo que já está bem estabelecido. Então, o que o governo federal está fazendo é uma irresponsabilidade na hora que cria uma dificuldade para que as pessoas possam vacinar seus filhos. Ninguém quer seu filho doente, nem transmitindo doença para o avô que está em casa isolado ou para o irmão que é diabético, nem para alguém com baixa imunidade ou que por alguma razão não se vacinou.

Saiba Mais – O negacionismo do governo Bolsonaro poderia ir além da covid-19 e chegar a outras vacinas?

O governo não, mas a base sim, porque o bolsonarismo vai além de Bolsonaro. É possível que isso acabe promovendo a queda de credibilidade no sistema de vacinação, isso já aconteceu em outros países como parte da Europa e Estados Unidos, onde há uma parcela da população que não vacina os filhos. Na verdade, nesses casos, os filhos não adoecem porque o vírus não circula mais!

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo