CIDADANIA

Vereador de Natal divulga fake: “vacina pra crianças não tem a menor comprovação científica”

O vereador de Natal Klaus Araújo (Solidariedade) tem feito declarações mentirosas sobre a vacinação de crianças contra a covid-19. Em vídeo deste domingo, ele afirma que a vacina infantil, que começou a ser aplicada no Rio Grande do Norte no sábado (15), “não tem a menor comprovação científica”.

Klaus “do Bem”, como se intitula, repete sua preocupação em não vincular a matrícula de crianças nas escolas ao passaporte vacinal, mesmo tendo filmado há alguns dias uma servidora do Município explicando que o cartão de vacinação é solicitado no ato da matrícula há muito tempo e não é um critério para a efetivação do vínculo.

“Tem juiz dizendo aí que vai tomar a guarda do pai e da mãe”, vai além. “Os direitos estão sendo retirados”, diz, afirmando que a governadora vai demitir servidores públicos por não se vacinarem, referindo-se à Portaria que determina apresentação de comprovante de imunização para aqueles que trabalham em órgãos públicos.

O imunizante infantil da Pfizer foi autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em 16 de dezembro para crianças entre 5 e 11 anos. De acordo com comunicado disponível no site do Ministério da Saúde, as avaliações feitas pela Anvisa sobre as solicitações de autorização de vacinas são realizadas por equipes multidisciplinares de especialistas em regulação e vigilância sanitária devidamente capacitados para esse fim. Estes servidores são de carreira de Estado, concursados com dedicação exclusiva.

Na avaliação, a Agência contou também com a participação de representantes de sociedades médicas de notório saber no tema: Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), Departamento de Infectologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e Instituto de Pesquisa do Hospital Albert Einstein. Foram ainda convidadas a Sociedade Brasileira de Imunologia (SBI) e a Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco).

A Anvisa também considerou em sua análise o relatório da aprovação da Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos, bem como o cenário de aprovação internacional das autoridades que possuem semelhança de medidas com o Brasil.

Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, com base na totalidade das evidências científicas disponíveis, incluindo estudos de fase I, II e III, a Agência concluiu que a vacina Pfizer-BioNTech contra Covid-19, quando administrada no esquema de duas doses em crianças de 5 a 11 anos de idade, é segura e eficaz na prevenção da Covid-19 sintomática, na prevenção das doenças graves, potencialmente fatais, ou condições que podem ser causadas pelo Sars-CoV-2.

Veja vídeo divulgado pelo vereador:

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Isabela Santos é jornalista e repórter da agência Saiba Mais