TRABALHO

909 pessoas internadas morreram à espera de vaga de UTI no Rio Grande do Norte

O Rio Grande do Norte tem 123 pessoas na fila de espera por uma vaga de leito crítico (semi-intensivo e UTI), mas há apenas 13 leitos disponíveis. Dessas 123, um total de 120 pacientes estão na região metropolitana de Natal, que possui 11 das vagas ainda disponíveis. A região Oeste tem três pacientes na fila de espera e duas vagas em aberto.

O Seridó atingiu 100% de saturação de seus leitos críticos, a região Oeste chegou a 97,9% e a região metropolitana da capital a 94,4%. A média do Rio Grande do Norte é de 96% de taxa de ocupação de leitos críticos.

Um levantamento feito pela Fiocruz com dados do Sivep-Gripe (Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica da Gripe), desde o início da pandemia e atualizados até 28 de fevereiro, à pedido do jornal Folha de São Paulo, mostram uma realidade cruel, a de que 909 pessoas internadas morreram no estado sem conseguir uma vaga na UTI.

Esse número que já é assustador pode ser ainda maior, já que alguns mortos sequer chegam a ser hospitalizados. No Brasil, 72.264 pessoas morreram de covid-19 sem conseguir acesso a um leito de UTI. O número representa ¼ das pessoas que morreram desde o início da pandemia no país. Pela média nacional, uma pessoa morre a cada três que são internadas. São pessoas que sequer tiveram a chance de tentar sobreviver com a assistência adequada, diante da falta de vagas. Até mesmo pessoas com plano de saúde ou mandados judiciais já não têm garantia de leito de internação. Sem vagas, têm sido impossível cumprir as sentenças. O Regula RN já havia divulgado que mais de 500 potiguares morreram na fila de espera da regulação desde o início da pandemia.

17 dos 23 dos hospitais do estado estão sem vagas para novas internações em UTI:

Hospital Colônia Dr João Machado (Natal);

Hospital de Campanha de Natal;

Hospital Dr Luiz Antônio (Natal);

Hospital Dr Mariano Coelho (Currais Novos);

Hospital Manoel Lucas de Miranda (Guamaré);

Hospital Maternidade Belarmina Monte (São Gonçalo do Amarante);

Hospital Maternidade do Divino Amor (Parnamirim);

Hospital Municipal Aluízio Bezerra (Santa Cruz);

Hospital Regional Alfredo Mesquita (Macaíba);

Hospital Regional Dr Tarcísio de Vasconcelos Maia (Mossoró);

Hospital Regional Hélio Morais Marinho (Apodi);

Hospital Regional Lindolfo Gomes Vidal (Santo Antônio);

Hospital Regional Nelson Inácio dos Santos (Açu);

Hospital Regional Telecila Freitas Fontes (Caicó);

Hospital São Luiz (Natal);

HUOL – Hospital Universitário Onofre Lopes (Natal);

Hospital Materno Infantil Integrada de São Paulo do Potengi.

Imagem: reprodução Regula RN
Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *