CULTURA

Curta Caicó investe em plataforma de streaming e abre a janela do Seridó para o mundo

O festival Curta Caicó anunciou os vencedores da premiação da terceira edição do festival de audiovisual potiguar. A cerimônia de premiação aconteceu, pela primeira vez, em formato virtual através do YouTube devido as recomendações da Organização Mundial de Saúde. Pela plataforma de streaming, lançada no evento, as obras exibidas chegaram a 35 países diferentes.

Foram premiados diversos curtas e longas tanto nacionais quanto da cena local. As categorias se dividiram em segmentos, como mostra Nacional, mostra Nordeste, mostra Potiguar, mostra Seridó, prêmio da crítica e júri popular. Foram 115 filmes exibidos e que concorreram nas diferentes categorias na edição de 2020.

O idealizador do festival Raildon Lucena afirmou que esperava um bom resultado nos acessos a plataforma disponibilizada para assistir aos curtas e longas disponibilizados:

“A plataforma de streaming foi uma sacada para que o público, já acostumado com essas plataformas, pudesse saborear e maratonar os curtas selecionados.  E para os realizadores, preparamos materiais personalizados para publicação. Então, o Curta Caicó aproveitou as possibilidades do digital para realizar um festival acessível e interativo. Em relação aos acessos (mais de 87 mil durante o festival) já imaginávamos que atingiríamos esse resultado, pois estávamos monitorando o alcance das nossas publicações junto ao nosso público-alvo”, afirmou.

Na mostra potiguar, o curta Casa com Parede, de Dênia Cruz, foi o grande vencedor na categoria Melhor filme. Outra categoria que o curta levou a melhor foi o Prêmio Mistika, prêmio CTAV. A realizadora Dênia Cruz comentou que o festival é uma janela importante para o público que ainda desconhece o talento e a qualidade da produção audiovisual do interior. Para ela, o formato virtual facilitou a expansão desse público.

“O virtual nos disponibilizou um alcance maior ao público que não tem acesso ao interior do Estado, onde sempre acontece o festival. Atingimos pessoas de São Paulo e chegou até 35 países. Hoje, eu defendo que os festivais devem pensar nessa perspectiva, ter essa possibilidade híbrida, eventos em formato presencial, mas ter também acesso a plataformas de streaming”, afirmou.

Raildon Lucena concordou com esse posicionamento e declarou que o intuito é trazer mais outra edição do festival para o próximo ano. A expectativa é tornar a região do Seridó o centro de produção audiovisual.

“O projeto de 2021 já está pronto e queremos ampliar o Curta Caicó para o próximo ano focando em capacitações em linguagem audiovisual em nossa região, o Seridó. Queremos uma Mostra Competitiva Seridó forte, pois um dos objetivos do festival é tornar a nossa região um centro de produção audiovisual. Claro que sempre precisamos melhorar. E uma das nossas metas é aproveitar o êxito do Curta Caicó para conseguirmos captar mais recursos e, dessa forma, ampliar a equipe e fomentar a economia criativa”, afirmou.

Confira os nomes e as fichas técnicas de todo os curtas premiados

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Allan Almeida
Jornalista potiguar em formação pela UFRN.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *