OPINIÃO

A esquerda está presa em um relacionamento abusivo

O relacionamento abusivo é um situação extremamente delicada e que impacta muito a qualidade de vida de milhares de mulheres pelo mundo, chegando a ter relação com o feminicídio. São várias as justificativas dadas pelas mulheres pra suportarem esse violência diária, entre elas, podemos citar: dependência financeira, nostalgia de um passado virtual, dependência psicológica, sentimento de desvalorização e expetativas ilusórias na mudança do relacionamento.

Essa situação lamentável acaba servindo de metáfora pra relação que a esquerda possui com o PT/Lula há anos no Brasil, e que parece que só agrava com o tempo assim como acontece com as mulheres . A esquerda sempre se constituiu na humanidade como a mola propulsora da crítica, da mudança e até da revolução. Mudar as bases de uma sociedade desigual, empobrecida e corrupta deveria ser o objetivo superior que nos guiaria. Mas aqui estamos presos dentro de um relacionamento violento!

As sinalizações do petismo nos últimos meses tanto do ponto de vista político, com os acordos regionais com os caciques “golpistas” do MDB, o namoro com o tucano Geraldo Alckmin, a luta pelo Waldemar da Costa Neto com o Bolsonaro…, e também do ponto de vista econômico, que são as mais graves. Guido Mantega em nome do PT faz uma carta aos brasileiros envergonhada na Folha de São Paulo, a ausência da abordagem da Política de preços da Petrobras, a ausência de discussão sobre o famigerado Teto de gastos, a falta de discussão sobre a cartelização do sistema financeiro no Brasil e outros, mostra que Lula não quer entrar em “bola dividida”.

A nossa tragédia social e econômica não nasceu no desgoverno Bolsonaro, faz 10 anos que não crescemos nada, desses 6 anos do PT, por sinal. O país fecha indústria como se mata barata, nossa desindustrialização é gravíssima, se nosso parque industrial representava 30% do PIB na década de 80, hoje representa em torno de 10%. O mundo está cada vez mais competitivo, e farra das commodities de Lula 1, dificilmente vai acontecer de novo, não resolvemos a reforma agrária  (problema do XVIII), e estamos com um abacaxi imenso que é a substituição de homens por máquinas (problema do XXI).

Dentro de um contexto tão turbulento, imaginar que repetir as mesmas pessoas e os mesmos passos vai dar em algo diferente, é a mesma falsa esperança que as mulheres sentem ao achar que seus maridos vão mudar…

Uma das formas de ajudar as mulheres que sofrem de abuso é conseguir locais de fala pra que possa se expressar e sentirem acolhidas. Da mesma forma, precisamos falar sobre os nossos problemas, discutir formas de resolver, ouvir várias opiniões e sentir seguro pra votar em quem realmente te represente. Ou o Brasil é acolhido pelos brasileiros, ou ele vai ficar sequestrado dentro de um ciclo de violência/dependência.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo