CULTURA

Abandonado, casarão histórico que abrigou antiga boate Arpege desaba pela terceira vez na Ribeira

O casarão histórico onde funcionou a antiga boate Arpege desabou na madrugada deste domingo (21), no bairro da Ribeira, em Natal (RN). Esse é o terceiro desabamento da estrutura nos últimos 12 anos. Abandonado, o prédio foi construído na década 1940 por uma família de alemães e já estava em ruínas.

O imóvel está localizado no nº 161 da rua Chile numa área que pertence a União.

Em 2008, parte da estrutura desmoronou em razão de fortes chuvas na região. O Corpo de Bombeiros chegou a interditar o local. O imóvel foi tombado em 2010 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Arquitetônico Nacional (Iphan). No ano seguinte, no entanto, um novo desabamento foi registrado após um galpão vizinho desmoronar.

A agência Saiba Mais tentou contato com a assessoria técnica do Iphan neste domingo e foi informada que maiores esclarecimentos serão repassados nesta segunda-feira (22). A reportagem também procurou a secretaria municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), que também afirmou que, em razão do final de semana, só poderia fornecer mais detalhes amanhã.

ATUALIZAÇÃO 19h25: Em nota, Iphan afirma que fará vistoria no local nesta segunda-feira (22)

No desabamento desta madrugada, o terceiro andar do prédio desmoronou (foto: cedida)

A reportagem apurou que o imóvel é objeto de ação da Secretaria do Patrimônio da União em virtude da inadimplência com IPTU.

A proprietária do prédio é a empresaria carioca Paula Homburguer. Segundo reportagem publicada pelo jornal Tribuna do Norte em 2014, ela comprou o casarão por R$ 110 mil em 2005 acreditando no projeto de revitalização do bairro da Ribeira anunciado, à época, pela prefeitura de Natal. A revitalização nunca saiu do papel.

Antes de abrigar uma boate que também funcionava como cabaré, o prédio foi sede do armazém “Secos & Molhados” e, posteriormente, de uma gráfica instalada no térreo pelo empresário Nestor Galhardo. O nome oficial do prédio é edifício Galhardo por conta do antigo proprietário.

O casarão tem uma importância histórica e serviu como cenário para dois filmes do cinema nacional: “For All- Trampolim da Vitória” (1998), de Luiz Carlos Lacerda, e “O Homem que Desafiou o Diabo” (2007), de Moacyr Goes, inspirado no romance As pelejas de Ojuara, do escritor potiguar Ney Leandro de Castro.

 

 

Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *