DEMOCRACIA

ADURN-Sindicato reage às “sugestões” do Ministro da Educação

Os docentes da UFRN, por meio da diretoria da ADURN-Sindicato, manifestaram-se no sentido de rechaçar o posicionamento do Ministro da Educação Abraham Weintraub, sugerindo que os alunos da UFRN, IFRN e Ufersa assumam as atividades de funcionários terceirizados, a exemplo da limpeza das instituições, além da substituição da segurança patrimonial pela Polícia Militar.

As “sugestões” foram feitas nesta segunda-feira (20), em reunião com deputados federais e senadores do Estado, além dos reitores das instituições de ensino, em Brasília. O objetivo do encontro era discutir o contingenciamento do orçamento das instituições e apresentar o impacto da medida nas unidades.

“A ideia é substituir a segurança patrimonial pela Polícia Militar, o que demonstra, mais uma vez, a falta de conhecimento sobre o ordenamento jurídico que rege as universidades, posto que deslocar o policiamento para dentro das IFES é desconhecer que as mesmas já trabalham em parceria e complementaridade com as Polícias Militar e Federal, de acordo com a Legislação vigente”, posicionou-se o sindicato.

O sindicato também criticou a fala que recomenda aos estudantes realizar a limpeza, segurança e manutenção das instituições, feitas hoje pelos funcionários terceirizados e que estão com os trabalhos ameaçados em razão do bloqueio financeiro feito pelo MEC.

“Consideramos tal “sugestão” absolutamente desrespeitosa, tanto com os funcionários terceirizados, considerados “materiais de descarte” sem importância quanto com os estudantes, que se tornam, aos olhos do Ministro, provedores de mão de obra gratuita, sobrecarregando sua formação.”

Para o sindicato, a postura do gestor tem se baseado em criar polêmicas irresponsáveis em um momento de cenário fragilizado.

“A Diretoria do ADURN-Sindicato tem mantido uma permanente vigilância sobre as ações do Governo Federal, que têm sido corriqueiramente pautadas por ataques despropositais contra o ensino.

Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *