CULTURA

Advinha quem vem tocar de novo ?

Tão certo como o especial de final de ano do Roberto Carlos na Rede Globo é um show de Raimundo Fagner em dezembro em Natal. A presença do compositor cearense é tão certa que já virou piada nas redes sociais. Os números e as cifras comprovam a tese.

Não é exagero afirmar que, em Natal, Fagner é de casa.  O autor de Deslizes é o artista brasileiro que mais recebeu dinheiro público da prefeitura de Natal por shows realizados na capital do Estado, a partir de 2006. Foram 11 apresentações no total, já contabilizando a da próxima quinta-feira (20), em Petrópolis. E cachês que variaram de R$ 35 mil a R$ 118 mil no período, uma soma de R$ 926,4 mil. Todos os shows foram gratuitos.

A agência Saiba Mais consultou os Diários Oficiais do Município disponíveis no portal da prefeitura de Natal , a partir de 2003 até hoje. Todos os contratos firmados com a empresa VG Agitos Musicais Ltda., que representa o compositor, foram assinados por inexigibilidade de licitação, modalidade que acontece quando há impossibilidade de competição e, no caso de um artista, o contratado não precisa provar seu valor de mercado.

Dos 11 shows realizados em Natal, nove foram contratados na gestão do ex-prefeito Carlos Eduardo Alves (PDT), um na administração de Micarla de Sousa (PV) e o primeiro agora na gestão de Álvaro Dias (MDB). Pela apresentação da próxima quinta-feira, na avenida Deodoro da Fonseca, em Petrópolis, Fagner receberá o maior cachê que já ganhou em Natal: R$ 118 mil.

A maioria das apresentações do compositor cearense ocorreu durante o Natal em Natal, nome pelo qual é conhecida programação cultural de final de ano, ou durante o Festival Literário de Natal (Flin), ambos projetos criados pela Fundação Cultural Capitania das Artes, sob a coordenação de Dácio Galvão, na gestão de Carlos Eduardo.

Num mesmo ano, Fagner chegou a ser contratado duas vezes para dois shows distintos. Em 2008 o cearense fez o primeiro show em 6 de junho, durante os festejos juninos e com cachê de R$ 66 mil; e o segundo aconteceu em dezembro, quando recebeu R$ 80 mil.

O ex-prefeito Carlos Eduardo Alves foi o gestor que mais contratou Fagner. Os dois mantém relações pessoais indiretas. Fagner era amigo de longa data do sogro do ex-prefeito, o marchand Francisco das Chagas Bezerra de Araújo, conhecido como Chico Miséria, assassinado nos anos 1990.

Carlos Eduardo administrou a prefeitura de Natal por 12 anos, incluindo a metade de um mandato herdado da ex-prefeita Wilma de Faria (2002-2003), dois mandatos inteiros (2004-2008; 2013-2016) e a metade de um mandato (2017-2018) não concluído em 2018. E só em três desses 12 anos da gestão Fagner não se apresentou na capital.

Apesar do apelo popular e nacional, e do bom público que leva para os shows, a repetição do mesmo artista durante tanto tempo denota, no mínimo, falta de criatividade pelo poder público diante de tanta diversidade na cultura brasileira.

Show de Raimundo Fagner em Natal

Data                    Cachê

22/10/2006* –    R$ 35 mil
20/12/2007* –    R$ 45 mil
06/06/2008* –   R$ 66 mil
12/12/2008* –    R$ 80 mil
20/12/2010** –  R$ 98,4 mil
21/12/2013* –     R$ 84 mil
20/12/2014* –    R$ 115 mil
27/12/2015* –     R$ 115 mil
16/12/2016* –     R$ 60 mil
23/12/2017* –     R$ 110 mil
20/12/2018*** – R$ 118 mil

*Gestão Carlos Eduardo Alves
**Gestão Micarla de Sousa
***Gestão Álvaro Dias

Fonte: Diário Oficial do Município (DOM)

Spoke Frevo, Elba Ramalho, Monobloco e Margareth Menezes também fecharam vários contratos na gestão de Carlos Eduardo Alves

Spoke Frevo foi a segunda banda mais contratada pela gestão do ex-prefeito de Natal. Cachê somado do grupo R$ 495 mil

Pelos extratos dos Diários Oficiais do Município também é possível ver que a pernambucana Spoke Frevo foi a segunda banda que mais se apresentou em eventos públicos pagos pela prefeitura de Natal. Foram oito apresentações entre 2013 e 2018, sete delas no carnaval, e um cachê somado de R$ 495 mil.

A paraibana Elba Ramalho foi a terceira artista brasileira que mais se beneficiou de contratos com a prefeitura de Natal. Ela se apresentou sete vezes em Natal e, pelos shows, recebeu R$ 712,6 mil.

Dos sete shows, cinco foram no Natal em Natal e dois no carnaval. Assim como Fagner, a paraibana Elba Ramalho foi contratada duas vezes no mesmo ano. Em 2015, Elba recebeu R$ 155 mil por um show no carnaval e R$ 120 mil para se apresentar no final do ano.

Outro dado que chama a atenção é que, assim como ocorreu no Spoke Frevo, todos os shows de Elba Ramalho em Natal a partir de 2006 foram realizados durante a gestão de Carlos Eduardo Alves.

No ranking de shows mais realizados em Natal pagos com dinheiro público, a banda Monobloco e a cantora baiana Margareth Menezes aparecem empatados em 4º lugar. Foram seis apresentações do Monobloco a partir de 2014, cinco delas no carnaval e uma no Natal em Natal. Pelo pacote, a banda carioca recebeu R$ 733 mil.

Margareth Menezes também fez seis apresentações, cinco delas no carnaval. O cachê, porém, foi um pouco maior: R$ 775 mil.

A baiana Margareth Menezes recebeu R$ 775 mil por seis shows realizados em Natal (RN)
Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *