Blog do Rafael Duarte

Álvaro Dias, o prefeito que odeia Natal

As imagens vão reforçar o brilho, o sorriso, os abraços e os acenos com a mão. Nos próximos dias até a quarta-feira de cinzas, o prefeito de Natal Álvaro Dias (MDB) vai fazer o que mais gosta: iludir o natalense com shows e festa.

Embriagado pelo carnaval, o público não percebe a destruição que está em curso em Natal, provocada por um prefeito que mente na frente das câmeras e demonstra total desprezo pela cidade que passou a administrar após a renúncia de seu antecessor, Carlos Eduardo Alves.

O Plano Diretor de Natal está sendo revisado depois de 12 anos. Com o crescimento da cidade, a revisão das normas e regras que regem a estrutura da capital do Estado é mais do que necessária. As mudanças, no entanto, deveriam priorizar os interesses da maioria que mora na cidade, e não de uma minoria privilegiada que ganha dinheiro com ela.

Se o prefeito que tanto fala em transparência quer de fato que a cidade se desenvolva, deveria deixar de lado seus pré-conceitos arcaicos sobre modernização e conversar mais com os moradores para ouvir as demandas de quem mais depende do poder público para se desenvolver, crescer.

Com uma bancada na Câmara Municipal submissa e tratada no chicote, Álvaro Dias pretende passar na cidade a retroescavadeira – para usar o símbolo da moda – colocando abaixo áreas de preservação como terrenos ao redor do Parque das Dunas e outros não edificáveis de Ponta Negra, privatizando uma paisagem tão cara aos natalenses e também aos turistas que buscam exatamente esse contato com a natureza.

Um dos objetivos do Plano Diretor de Álvaro Dias é a higienização da orla com a retirada de comunidades pobres das proximidades das praias para instalar ali um imenso e extenso paredão de edifícios, descaracterizando a cidade em nome de uma burra e ignorante mentalidade que impõe um subjetivo e discutível conceito de beleza artificial sobre a paisagem natural.

A participação da sociedade com mais de 2,5 mil contribuições alardeada pelo prefeito no debate sobre a revisão do PDN não foi levada em conta. Quase 30 entidades ligadas à defesa e preservação do patrimônio e meio ambiente de Natal estão denunciando que a proposta da Prefeitura apresentada na quinta-feira cria outro Plano Diretor, e não revisa o anterior, que há mais de seis meses vinha em curso, sendo debatida aos trancos e disputas nos Grupos de Trabalho.

A sociedade precisa de um Ministério Público mais ágil na fiscalização para cobrar do município compromisso com a cidade, independente de acertos e conchavos de gabinetes feitos com os olhos no período eleitoral.

O prefeito que odeia Natal não pode sorrir por aí com a certeza de que os natalenses, a imprensa e suas instituições também desprezam a nossa cidade.

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *