DEMOCRACIA

Ameaçado de perder vaga de vereador para o PTB, Daniel Valença aponta ilegalidades na sigla

Por Mirella Lopes e Isabela Santos

O vereador eleito em Natal Daniel Valença (PT) publicou em suas redes sociais na noite desta terça-feira (17) que, desde que foi levantada a hipótese de perda do mandato para o candidato Luciano Nascimento (PTB), sua equipe começou a analisar os processos e identificou que a chapa do PTB possui “uma série de irregularidades”.

Luciano Nascimento não teve os votos computados pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte porque estava com a candidatura Sub Judice, mas regularizou a situação. Com isso, os 3.464 votos que ele obteve serão contabilizados na soma total de votos dos partidos. Com a entrada de Luciano na Câmara de vereadores de Natal, quem pode acabar saindo é Daniel Valença (PT), terceiro colocado do Partido dos Trabalhadores a conseguir uma das cadeiras na Câmara Municipal.

De acordo com Valença, foram identificadas diversos documentos do PTB ausentes e cinco candidaturas indeferidas. “Existem questões a serem averiguadas, especialmente, o indeferimento de candidaturas de mulheres, seus motivos e o consequente descumprimento do percentual de 30% de candidaturas necessárias como requisito legal”, alerta o petista.

Daniel diz ainda que não acredita que seja coincidência este tipo de situação acontecer quando o resultado é retirar mandatos populares e petistas do Legislativo. “Não nos resignaremos e vamos adotar todas as medidas cabíveis!”, avisa.

Além de Luciano Almeida, o PTB ainda pode ter acrescidos os votos do candidato Silvio Dantas, que obteve 1.362 votos e também está com a candidatura Sub Judice.

Somente entre os candidatos eleitos, o PT obteve um total de 11.126 votos, sendo 5.966 de Divaneide, 2.901 de Brisa e 2.259 de Daniel Valença. Já o PTB obteve entre os candidatos eleitos, até o momento, 5.860 votos, sendo 3.109 de Peixoto e 2.751 de Hermes. Com a entrada dos votos de Luciano Nascimento, o partido pularia para um total de 9.324 votos e caso os votos de Silvio Dantas também sejam computados, o PTB somaria então 10.686 votos.

Para a definição das vagas, é levado em conta o total de votos do partido entre candidatos eleitos e não eleitos. Assim, o PT teve uma média de 8.976 votos, enquanto o PDT somou uma média de 9.187 votos. Por isso, o partido a perder uma cadeira na Câmara seria o PT.

Com o trânsito em julgado do registro de algumas candidaturas e a consequente mudança de situação jurídica dos candidatos, o Juiz da 1ª zona eleitoral, Kennedi de Oliveira Braga, determinou a realização de nova totalização dos votos que será realizada na próxima quinta (19), às 10h, no cartório eleitoral da 1ª Zona Eleitoral, em cerimônia pública.

Campanha

No post em que fala sobre as eventuais irregularidades do PTB, Daniel Valença também avalia a sua primeira disputa para cargo eletivo.
“Nós fizemos uma campanha potente, militante, socialista e que defendeu a classe trabalhadora potiguar. Obtivemos uma vitória política e eleitoral, com a declaração da nossa eleição e aumento das vagas da bancada do PT na Câmara Municipal de Natal”, começa, agradecendo a todos que se empenharam no projeto da candidatura.

Daniel também faz questão de destacar que é fiel às bandeiras do “Fora Bolsonaro”, da defesa de Lula, do socialismo e o lema de sua campanha, “Uma Natal Pra Toda Gente”.

“Nós defendemos as coisas mais belas! 2.259 pessoas acreditaram e dedicaram seu voto a um projeto de organização e mobilização das classes trabalhadoras. Só assim abriremos os caminhos por onde passarão os novos homens e mulheres livres!”, conclui.

A Agência Saiba Mais conversou com Daniel Valença. Confira:

Como você recebeu a notícia da revisão dos votos dessas eleições em Natal, com a possibilidade da perda da vaga? Quais as expectativas?

Com tranquilidade, primeiro porque, para nós, a militância não se resume a eleições, mas à transformação real da vida, à superação da exploração e das opressões, e isso só é possível com muita organização e mobilização das classes trabalhadoras. Então a disputa eleitoral é apenas parte da nossa luta política. Agora, ao mesmo tempo, temos sim indignação; a chapa do PTB tem várias irregularidades, diversas ausências de documentos e cinco candidaturas indeferidas. Portanto, lutaremos pela vaga conquistada pelo PT.

Essa foi a primeira vez que se candidatou a cargo eletivo. Como avalia sua primeira eleição?

A nossa avaliação é positiva; queríamos uma campanha militante e que defendesse as coisas mais belas; terminamos a nossa campanha com um bandeiraço enorme, que durou das 17h as 22h, e por lá passaram dezenas e dezenas de militantes. Ou seja, provamos que é possível fazer política a partir da mobilização, voluntária, decorrente da conquista para um determinado projeto político. E o projeto que apresentamos foi nosso programa máximo. Enquanto eles defendem as piores coisas, é nossa tarefa defender as melhores. Se eles defendem Estado mínimo, tortura e ditadura, porque não defenderíamos o socialismo, o bem estar das classes trabalhadoras, Uma Natal Prá Toda Gente? Então a nossa avaliação é muito positiva porque defendemos um programa firme, não realizamos recuos programáticos, e, mesmo assim, tivemos 2.259 votos e ganhamos uma das vagas na Câmara.

Se confirmada a eleição do candidato do PTB, pretende se candidatar novamente? Quais são seus planos políticos?

Aí é algo para nosso grupo político debater. Neste ano de 2020, o grupo entendeu que eu seria o nome mais apropriado para representá-lo no momento; se em outro período eleitoral o grupo tiver o mesmo entendimento, como militante estarei disponível. Mas não é isto que estará em debate agora, e sim conquistar essa militância para se filiar ao PT, construir politicamente conosco e avançarmos em nossos processos de organização e formação política.

Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *