DEMOCRACIA, Principal

Ana Michele: “O feminismo nos diz o tempo todo que não estamos sozinhas”

Ana Michele  é vereadora pelo PT em Parnamirim e tem 39 anos, dos quais 21 dedicados à vida pública. Como gestora, foi secretária de Meio Ambiente, Habitação, Desenvolvimento Urbano e Assistência Social no município. Candidata à deputada federal pelo PT, Ana Michele defende que a mulher que não se considera feminista não entendeu ainda o que significa o feminismo. Ela é a quarta entrevistada da série “Me Representa”, realizada pela agência Saiba Mais com candidatos ao Parlamento estadual e federal que disputam as eleições no próximo dia 7 de outubro.

Saiba Mais sobre quem é e o que pensa Ana Michele:

Quando começa seu interesse pela política ? E por quê ?

Comecei sendo líder de turma e, ainda adolescente, militando pelas causas estudantis e compondo centros acadêmicos. Debater e lutar é algo que a gente aprende dependendo de como é/foi nossa vida. Meu envolvimento com a política sempre esteve ligado a vontade de transformar a minha própria história e a história daqueles que estavam ao meu redor compartilhando de realidades idênticas, além do desejo de combater injustiças.

Qual segmento você já representa como vereadora e que parcela da sociedade você quer representar na Câmara Federal ?

Enquanto vereadora, sou presidente da Frente Parlamentar de Promoção e Defesa da Igualdade Racial, membro da Comissão Permanente de Desenvolvimento Urbano do Meio Ambiente, da Frente Parlamentar do esporte e lazer e da Comissão Permanente de Saúde da Câmara dos Vereadores de Parnamirim/RN. Atuo na defesa dos direitos das mulheres, minorias e dos trabalhadores. Biscando enfatizar e defender a saúde, educação e Assistência social.

Costumo dizer que minha bandeira é a bandeira de todos. Meu objetivo é o de defender aqueles que costumeiramente estão afastados das decisões governamentais e, nesse aspecto, podemos considerar todos os cidadãos. Sempre com equidade, isto é, fazendo mais por quem mais precisa, evidenciando grupos minoritários e ainda marginalizados na nossa sociedade.

As mulheres ainda ocupam poucos espaços na política. Na Câmara Federal, os mandatos femininos representam menos de 10% das cadeiras. É mais difícil convencer o eleitor a votar em mulheres ? Por quê ?

Não acredito que seja mais difícil. O que existia até pouco tempo era uma política feita por homens. Não haviam mulheres porque elas eram impedidas de estarem lá. Estamos conquistando mais  espaços e ultrapassando barreiras, nos dispondo a representar o coletivo, recebendo o apoio de outras mulheres e de homens que superaram o machismo e compreenderam que não há diferenças entre nós. Trata-se apenas de questão de incentivo para que outras de nós se engajem na luta, e de tempo para que esse número só cresça e estejamos cada vez mais presentes na política.

Numa sociedade machista e patriarcal, como a brasileira, e com um candidato misógino liderando as pesquisas para a presidência da República, qual a importância do feminismo ? Você é uma mulher feminista?

A mulher que não se considera feminista, talvez não tenha compreendido o feminismo essencialmente. O feminismo representa a resistência e a luta em defesa das mulheres. Num cenário como esse (e em tantos outros), nos fortalece, unifica,  não permite que idéias misóginas, preconceituosas, homofóbicas, violentas se propaguem e ganhem força. O feminismo nos diz a todo tempo que não estamos sozinhas, e que exigimos respeito.

Você já passou por alguns partidos e hoje está no PT. Fale da sua experiência nos partidos por onde passou.

Considero que toda experiência seja válida, porque nos traz aprendizados que nos servem para a vida. Mas no outro partido não me sentia completa. Faltava algo. Por outro lado, sempre admirei a militância. O tempo e o amadurecimento me fizeram compreender que eu precisa estar no lugar certo. E, desse modo, escolhi estar aqui.

Você ocupou vários cargos na administração pública, todos na prefeitura de Parnamirim. Que legado você deixou dessa experiência ?

Sim, foram muitos anos como gestora. Por área de atuação, de forma simplificada, podemos citar:

HABITAÇÃO – Atuação na entrega de mais de 4 MIL APARTAMENTOS do Programa Minha Casa Minha Vida, destinados a população de baixa renda.

MEIO AMBIENTE – Criação do Código do Meio Ambiente de Parnamirim; o conselho Municipal do Meio Ambiente; o Sistema Municipal do Meio Ambiente; o horto municipal; Agenda 21 de Parnamirim/RN.

DESENVOLVIMENTO URBANO – Revisão  do código de obras e o Plano Diretor de Parnamirim/RN, ferramenta central do planejamento de cidades no Brasil, em prol do desenvolvimento mais inclusivo e sustentável.

ASSISTÊNCIA SOCIAL –  Recebi o troféu Íris de Almeida como gestora destaque. Fomos premiados em sexto lugar em gestão no país, em primeiro lugar em erradicação do trabalho infantil e também em primeiro lugar em gestão dos programas de transferência de renda. Foram realizadas a entrega de mais de 5.000 certificados Pronatec e mais de 1.000 do Projovem, oportunizando e qualificando jovens para o mercado de trabalho. Consolidação do Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial. Enfrentamento à violência e fortalecimento das famílias, como célula estruturante da sociedade.

VALORIZAÇÃO DO TRABALHADOR – Promoção da modernização e política de valorização profissional por onde passamos.

Quem te inspira ?

Na vida, Deus acima de tudo e minha família; Na política, meus semelhantes. Não há como ser plenamente feliz quando o mundo lá fora chora e clama por socorro.

Que balanço você faz da bancada potiguar na Câmara Federal ?

Precisamos de renovação na Câmara Federal. A maioria dos que estão lá não nos representam. No ano de 2016 fomos obrigados a assistir estarrecidos o maior espetáculo de absurdos, a concretização de um golpe de estado e retrocessos que trouxeram consequências extremamente danosas para o nosso país. Percebemos com clareza o quanto estamos mal representados. Precisamos eleger defensores da democracia e dos interesses do povo.

Por quê você quer ser deputada federal ?

Ser Deputada Federal não é um projeto pessoal. Trata-se de um projeto coletivo e inclusivo que abraça todos os grupos sociais. Precisamos garantir o fortalecimento dos movimentos sociais, o enfrentamento à violência, o estabelecimento de políticas que assegurem nossos direitos básicos. O respeito e a representação da diversidade e a individualidade humana.

Quero ter a oportunidade de fazer a política que deve ser feita. Trazer idéias transformadoras construídas de forma participativa e democrática, fazendo mais por quem mais precisa, ecoando as vozes silenciadas.

Quero criar leis, fiscalizar e votar a favor de melhorias para o Brasil; pelo fortalecimento da Educação, base estruturante para mudança de toda sociedade; pela proteção e valorização do trabalhador e de seus direitos fundamentais; pelo combate a todo tipo de violência, preconceito e exclusão social; pelo fortalecimento, proteção e avanços do SUS; o fortalecimento da luta pela igualdade racial e a defesa dos direitos sociais e individuais.

Quero ser Deputada Federal, porque acredito que É POSSÍVEL, SIM, fazer o povo do RN FELIZ DE NOVO!

Fale um pouco sobre você. Quem é Ana Michele, suas origens, onde nasceu, o que faz, quantos anos você tem, onde trabalhou…

Nasci em Fortaleza/CE e aos três anos de idade cheguei em terras potiguares. Não cresci em apartamento. Cresci com outros três irmãos numa casa pequena, daquelas que era preciso aguar o chão para varrer. Família de mecânico e de uma técnica em enfermagem que mal podia estar em casa. Estudei. Sabia que aquele era o meio de alcançar meus objetivos. E por muitas vezes precisei escolher: comer ou pagar a passagem de volta para casa.

Sempre sonhei com uma graduação na área de saúde pública. Mas era quase uma utopia ocupar uma vaga, mesmo que numa Universidade Pública, em cursos que até pouco tempo era preenchido única e exclusivamente pelos mais abastados.

E hoje, aos 39 anos, completo 18 anos de sala de aula e 21 anos de vida pública, tendo sido Secretária Municipal de Saúde, de Assistência Social, do Meio Ambiente e do Desenvolvimento Urbano e de Habitação e Regularização Fundiária.  Sou Doutora em Saúde Coletiva e enfermeira efetiva na maternidade Leide Morais e Vereadora pelo PT em Parnamirim/RN.

E o meu desejo é que histórias como a minha não sejam exceções as regras, porque É POSSÍVEL, SIM, que todos vivam com um mínimo de dignidade.

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *