TRANSPARÊNCIA

Apenas 11% dos municípios do país aderem ao programa de escolas cívico-militares

Somente 643 prefeituras se inscreveram no programa de escolas cívicos-militares. O número representa 11% dos municípios do Brasil e foi divulgado na quarta-feira (16) pelo Ministério da Educação (MEC), que ainda não detalhou quais foram as cidades. Dentre os inscritos, 290 são de cidades da região Nordeste. Segundo levantamento, Natal, Mossoró, Parnamirim, João Câmara e Extremoz haviam anunciado interesse em participar do programa. Em Extremoz, no entanto, a população foi contrária à adesão em audiência pública realizada.

De acordo com o ministro da Educação, Abraham Weintraub, o Nordeste foi a região com o maior número de prefeituras interessadas no programa, 290. Ele disse que o ministério estuda uma “solução” para os casos em que o Estado não manifestou interesse, mas o município quer a implementação do modelo.

Na fase anterior do programa, que previa a adesão por parte dos Estados, o Rio Grande do Norte foi um dos 11 estados que negaram a participação no programa. Somente o Governo do Ceará, no Nordeste, dispôs-se a aplicar o programa nas escolas.

O plano do governo é de instalar o modelo em 54 unidades no próximo ano, inicialmente a ideia era ter duas em cada Estado. O ministro não informou se deve manter essa divisão. O orçamento previsto para o programa em 2020 é de R$ 54 milhões, 1 milhão por unidade que aderir. Esse valor, no entanto, será utilizado para pagamento de salários dos militares que atuarem no programa.

A expansão de escolas nesse modelo, que prevê a participação de militares da reserva em atividades educacionais e administrativas das unidades, é uma promessa de campanha do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

+ Forças Armadas vão atuar na gestão educacional e didático-pedagógica das escolas cívicos-militares

Artigo anteriorPróximo artigo
Pedro Torres
Pesquisador e jornalista com foco em direitos humanos, política e tecnologia baseado em Natal/RN. CONTATO: pedrohtorres@outlook.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *