DEMOCRACIA

Álvaro Dias vence no 1º turno, descola de Carlos Eduardo e vira potencial candidato ao Governo em 2022

Depois de assumir a Prefeitura de Natal no sobejo deixado por Carlos Eduardo Alves, que abriu mão do cargo de prefeito em 2018 para concorrer ao Governo do Estado, Álvaro Dias (PSDB) passou por uma prova de fogo na carreira política ao vencer o pleito à Prefeitura de Natal e garantir a reeleição no 1º turno sem o apoio direto e explícito de Carlos Eduardo, que não gravou participações nos vídeos da campanha.

Álvaro Dias foi eleito em primeiro turno com 56,58% dos votos, o equivalente a 194.764 votos, cerca de 30 mil votos a menos do que Alves obteve em 2016, quando também venceu a disputa no 1º turno com 63,42% dos votos, num total de 225.741 votos.

“O prefeito Álvaro Dias ganhou autonomia e, praticamente, se descolou da liderança de Carlos Eduardo. Ele, obviamente, dependeu de Carlos Eduardo para chegar à Prefeitura porque era o vice, mas se descolou dessa liderança. No caso do Rio Grande do Norte nessa eleição se confirma o derretimento de certas lideranças tradicionais como o ex-senador Garibaldi Alves, o ex-senador José Agripino e o ex-prefeito Carlos Eduardo, além de Henrique Alves. São figuras que não tiveram presença eleitoral e têm sofrido derrotas eleitorais nos últimos anos”, avaliou Antônio Spinelli, professor do Departamento de Ciências Sociais da UFRN, durante o programa da Agência Saiba Mais de apuração das Eleições 2020.

O apoio do PDT a Álvaro Dias foi dado oficialmente durante uma convenção do partido, que indicou a vice-prefeita Aíla Ramalho Cortez. Aíla é prima da mulher de Carlos Eduardo e ex-secretária de Tributação de Natal e ex-diretora do Procon. Com a saída de Alves do cenário político atual, alguns analistas políticos já apontam Álvaro Dias como uma possível nova liderança em Natal capaz de concorrer, inclusive, nas eleições para o Governo do Estado nas eleições de 2022.

Brancos e nulos superam 2º colocado

A capital teve um total de 58.765 votos brancos e nulos. Foram 40.220 votos nulos (9,98%) e 18.515 votos em branco (4,60%). Um número maior do que a votação alcançada pelo segundo colocado na disputa pela Prefeitura, o senador Jean (PT), que teve 14,38% dos votos, num total de 49.494 dos votos. Apesar de ser um nome novo na capital, Jean Paul Prates obteve uma votação mais expressiva do que Fernando Mineiro, apoiado por 36.123 em 2016.

Outros resultados também chamaram a atenção. Segundo colocado em 2016, Kelps Lima (Solidariedade) derreteu em 2020. Ele ficou em quarto, com apenas 5,87% dos votos, quase metade da votação do principal azarão da campanha eleitoral, o delegado bolsonarista Sérgio Leocádio (PSL), que obteve 10,22% dos votos e se tornou uma caricatura de si mesmo, com direito à agressão a jornalistas da Tribuna do Norte na seção eleitoral.

Hermano Moraes, com 3,38%, Coronel Hélio Oliveira (2,73%), coronel Azevedo (1,90%), Afrânio Miranda (1,64%), Carlos Alberto (1,38%), Nevinha Valentim (1,15%), Fernando Freitas (0,41%), Rosália Fernandes (0,26%) e Jaidy Oliver (0,11%) completaram a lista.

A cidade da Ivermectina

A adoção da Ivermectina como medida preventiva ao novo coronavírus foi questionada por cientistas, mas parece ter tido um efeito positivo, pelo menos eleitoralmente, para Álvaro Dias. Apesar de médico e de ter criado um Comitê Científico para auxiliar nas decisões municipais relacionadas à pandemia, o prefeito de Natal optou pela distribuição em massa de medicação para verme como medida profilática a covid-19. Para isso, ele criou dois centros de Tratamento do coronavírus, onde kits eram distribuídos com o medicamento e as receitas médicas já vinham pré-prontas, para que o médico tivesse menos trabalho e marcasse apenas com um “X” a medicação a ser ministrada pelo paciente. Além disso, Álvaro Dias também criou um Hospital Municipal para atendimento exclusivo a pacientes com covid-19 com 24 leitos de UTI e 50 leitos de enfermaria.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo