TRANSPARÊNCIA

Aplicativo do MP já recebeu 2.800 denúncias de descumprimento do isolamento social

A plataforma Tô de Olho, criada pelo Ministério Público Estadual em parceria com o Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN), com o objetivo de monitorar o isolamento social no estado, já recebeu 2.800 denúncias de descumprimento das restrições de distanciamento nos últimos dois meses.

Em 92 dos 167 municípios do estado potiguar foram registradas denúncias. Segundo o assessor de inovações tecnológicas do MPRN  Israel Garcia todos os municípios receberam acesso ao aplicativo e podem ver as denúncias para tomar as providências cabíveis.

Nesta semana, a plataforma ganhou novas funcionalidades que permite ao cidadão checar com precisão se teve contato com alguém contaminado com o Coronavírus.

“A partir do Tô de Olho o cidadão pode fazer denúncias sobre aglomeração e violação de quarentena, além disso também é possível ver o índice de isolamento em municípios potiguares e seus principais bairros. Uma nova funcionalidade disponível é que o usuário será alertado caso esteja próximo de um local que tem casos confirmados da Covid-19“, disse. Israel.

Isso é feito por meio do cruzamento de dados das compras realizadas pelo cidadão. O sistema verifica se o local onde a pessoa esteve também foi frequentado por alguém com a confirmação de contágio com o Coronavírus nos últimos 14 dias. Leva-se em conta uma distância de até 50 metros e um intervalo de tempo de 30 minutos. Essa verificação é possível graças a parceria com o Programa Nota Potiguar, do Governo do Estado. Ao acessar o aplicativo do Nota Potiguar, o usuário vê uma mensagem perguntando se concorda em compartilhar seus dados com o Tô de Olho.

A plataforma possui atualmente 15 mil pessoas cadastradas, com usuários em todos os municípios do RN. Dentre as detecções de contato positivo, já foram verificados cerca de 1.500 casos desde o início da implantação do Tô de Olho.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Kamila Tuenia
Jornalista potiguar em formação pela UFRN, repórter e assessora de comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *