TRABALHO

Ataque de senador Styvenson a profissionais de saúde gera revolta na categoria e Sindicato avalia acionar a Justiça

Profissionais de saúde de Natal estão revoltados com os ataques desferidos pelo senador Styvenson Valentim (Podemos) contra a categoria. De forma de generalista, sem citar nomes nem provas, o parlamentar acusou os trabalhadores de fingirem aplicação da vacina contra a covid-19 para ficar com as doses e ainda sugeriu, na mesma postagem publicada nas redes sociais, que os profissionais estariam por trás do roubo de 20 doses de vacina no posto de saúde da Vila de Ponta Negra, ocorrido dia 22 março.

Servidores municipais da Unidade Básica de Saúde da Vila de Ponta Negra, vítimas do assalto e alvo dos ataques de Styvenson Valentim, divulgaram uma nota de repúdio e exigiram uma retratação do senador. O Sindicato dos Trabalhadores da Saúde do Rio Grande do Norte (Sindsaúde) afirmou que vai propor uma ação criminal contra o parlamentar:

 “Somos profissionais de saúde da linha de frente, há mais de um ano damos nosso sangue, lágrimas e suor na luta incansável de promover saúde e conscientizar a população acerca da pandemia que nos assola e nos tira entes queridos de forma abrupta e profundamente dolorosa. Carregamos o peso de seguir atuando sob o risco de contaminação, de levar o vírus para familiares e ainda, sob um imenso desgaste físico e mental. Como se não bastasse, sofremos um violento assalto que nos pôs sob a mira de armas de fogo, agressão física e psicológica que deixou profundas marcas emocionais em cada uma e em cada um. Não é admissível que esta grande violência seja estendida ainda mais, agora para a esfera virtual, gerando suspeitas e novos riscos de mais violência”, diz um trecho da nota dos trabalhadores da UBS da Vila de Ponta Negra.

Os servidores pedem uma retratação porque acreditam que as declarações de Styvenson podem impactar “de maneira extremamente sensível a própria segurança das(os) trabalhadoras(os) alvos de sua publicação, o que, por consequência, impacta também na assistência à população que este deveria representar, com dignidade e decoro”, diz o comunicado.

Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Natal (Sinsenat) denunciou o rouba das vacinas e também criticou a postura de Valentim. A coordenadora-geral Soraya Godeiro destacou a mudança de postura do senador:

– Styvenson se perdeu no caminho quando deixou de ser um profissional de segurança pública para opinar de forma ideológica sobre outros temas. Os profissionais de saúde merecem respeito pelo que trabalho que vêm fazendo na pandemia, na maioria das vezes, em condições desumanas. E mesmo assim, estão lá, mantendo a qualidade do serviço à população”, afirmou a sindicalista.

Sindsaúde vai propor ação criminal contra senador

O Sindsaúde também se manifestou de forma dura contra os ataques do parlamentar. A entidade vai procurar os servidores e propor uma ação criminal coletiva contra o parlamentar.

Em nota divulgada neste sábado (27), o Sindsaúde lembrou que os profissionais de saúde eram comparados a heróis no início da pandemia e ressaltou que há políticos poderosos que poderiam salvar vidas, mas preferem debochar das mortes, preferem ridicularizar a ciência, preferem fazer acusações contra os trabalhadores da saúde que tanto se dedicam para atender e cuidar da população.

– Tais declarações são muito graves e devem ser repudiadas. Contraditóriamente, o senador utiliza sua posição para caluniar e difamar esses trabalhadores e trabalhadoras da saúde estão há mais de um ano atuando na linha de frente no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus. Esses profissionais estão fazendo tudo que podem para salvar vidas, mesmo diante de governos negacionistas, e que não priorizam a saúde pública e a vida da população. Nós do Sindsaúde/RN repudiamos as declarações do senador Styvenson que teve o único intuito de desmoralizar e insultar aqueles que lutam incansavelmente por uma saúde pública de qualidade. É o senador que deve responder criminalmente por atentar contra a honra, a imagem e a dignidade de pessoas que estão arriscando suas vidas na linha de frente. Exigimos respeito e justiça!”, afirma o comunicado da entidade.

 

 

 

 

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *