Ana Clara Dantas

Ana Clara Dantas

Ana Clara Dantas é jornalista e escreve às sextas-feiras
Ana Clara Dantas escreve às sextas-feiras

Brasa no peito

Até a cerveja esquentando na mesa do bar pede pressa. Mas ainda é novembro. Depois vem dezembro, amanhã, janeiro. Mais tarde vem fevereiro, vem o carnaval e a gente esquece o mundo. Eu juro que resisto.

Ana Clara Dantas escreve às sextas-feiras

A dor do outro

Estão matando o outro. E nisso nos matam também, porque é possível morrer de várias formas. Morre-se de dor, de abandono e até de medo. Morre-se rapidamente, mas também aos poucos. É possível morrer para alguns e ainda estar vivo de fato.

Sem melodia

Delicadezas e um pouco de desesperança estão na crônica da jornalista Ana Clara Dantas.

Ana Clara Dantas escreve às sextas-feiras

Um breve causo sobre isso daí

Um dia bateram à porta do Sr. Alberto. Vieram buscá-lo. Um sujeito bronco gritava palavras de ordens, enquanto pedia que o seguisse. Deveria ir. Como todos que já não estavam ali.

Ana Clara Dantas escreve às sextas-feiras

Sobreviveremos à quinta série

Com um pouco de calma, os garranchos ganham forma. As linhas ganham histórias. E eu ganho um pouco de sossego colocando no papel o que aperta o peito. De repente a quinta série nem era um bicho tão feio assim.