Ana Clara Dantas

Ana Clara Dantas

Ana Clara Dantas é jornalista e escreve às sextas-feiras
Ana Clara Dantas escreve às sextas-feiras

É os pingo da chuva me molhar

A gente do interior se reconhece. E quando se reconhece, faz festa. Chama atenção, porque é feliz. E é feliz com o simples. Com o filho que chegou mais cedo da escola, com o mercadinho novo que é mais barato. E com a chuva

Ana Clara Dantas escreve às sextas-feiras

A crônica do feijão

E enquanto a panela de pressão trabalha, eu reencontro muito de mim naquele cheiro, vejo meu pai dizendo “Coloca feijão aí, menina”, e eu já sabia que aquilo era carinho em estado bruto.

Ana Clara Dantas escreve às sextas-feiras

A balada do baixista asmático

Morrerá no palco. É certo. Irá sucumbir à falta de uma bombinha de ar. Trágico. Vítima da fúria de celulares e aplicativos de mensagens, sua queda será televisionada. Bom, pelo menos será ao som de boa música.

Ana Clara Dantas escreve às sextas-feiras

Carta de quem fica pra quem vai

Amar já não pesa mais. Cozinho tudo lentamente. Meu gostar também é lentidão, é afago. Porque quando a gente vai pro mundo, sempre fica alguém.

Ana Clara Dantas escreve às sextas-feiras

Que é o craque ?

Porque daqui parece fácil. E é fácil acreditar no craque. Muitas vezes, tudo o que nos resta é acreditar nele. Por mais que o cronômetro puxe os minutos, só os craques podem iludir o tempo e fazer o insano.