Cellina Muniz

Cellina Muniz

Pão para o espírito

A professora e escritora Cellina Muniz ressuscita a partir de redescobertas em sua Fortaleza perdida um movimento idealizados por padeiros do Ceará reconhecido pela galhofa, a anarquia e o humor escrachado

Para Lima Barreto, com amor

A professora e escritora Cellina Muniz escreve sobre sua paixão pelo escritor carioca Lima Barreto, que teve origem nas “aulas clássicas” que espremiam autores e obras entre escolas literárias e segue até hoje

Quantos nomes nós temos ?

A professora e escritora Cellina Muniz faz uma reflexão sobre radicalismos contemporâneos e os vários personagens que habitam o mesmo contraditório ser humano. O texto é um convite ao não-maniqueísmo

Aclamação

A professor e escritora Cellina Muniz escreve sobre a Sociedade dos Amigos do Beco da Lama e Adjascências (SAMBA), entidade etílico cultural criada no Centro Histórico de Natal para movimentar a boemia local

O aro era 14

“Mas antes daquele pneu rolar, ele, Romilson, gostou dela como uma aranha gosta de sua trigésima segunda teia. Como foi mesmo que foram se encontrar? Sabe Deus e Exu desconfia”. Um conto da escritora Cellina Muniz