TRABALHO

Bancários param por 24h nesta quarta (10) contra demissões e fechamento de agências do Banco do Brasil

Agências do Banco do Brasil amanheceram fechadas nesta quarta-feira (10). A greve dos bancários é de 24 horas e se contrapõe à reestruturação anunciada em janeiro pela direção do banco, que prevê fechamento de unidades, desligamento de trabalhadores, descomissionamento de funções e a extinção do cargo de caixa.

As medidas são as mais duras adotadas pelo Governo Bolsonaro contra os trabalhadores e trabalhadoras do país e poderá resultar no enfraquecimento da função social do banco público. Ao todo, 5 mil bancários devem perder o emprego e 361 agências serão fechadas, sendo 112 agências, 7 escritórios e 242 postos de atendimento. No RN serão fechadas 5 agências em Natal, Parnamirim e Mossoró.

Segundo o Sindicato dos Bancários do Rio Grande do Norte, o banco anunciou no início da semana que as demissões voluntárias ultrapassaram a meta estipulada pela instituição e chegaram a 5.533. Não houve divulgação dos números por Estado. Quem não aderir ao PDV e for movimentado ao critério do banco pode ter os salários reduzidos.

A privatização do Banco do Brasil não é um caso isolado, estatais como a Petrobras, os Correios e a Eletrobras também estão ameaçadas e vêm enfrentando um processo de desestatização acelerado no governo Bolsonaro.

Greve no RN

Segundo a assessoria de comunicação do sindicato, a greve começou forte no estado, “em relação à greve do dia 29 de janeiro (também com a mesma pauta) houve adesão de mais duas agências na capital (agências Estilo Centro e Ponta Negra) e dos dois Escritórios de Negócios, além de várias agências no interior”.

Os bancários do Banco do Brasil já realizaram atos nacionais no dia 15 e no dia 21 de janeiro. Em 29 de janeiro foi realizada uma paralisação de 24 horas, que “forçou a marcação de uma negociação via Ministério Público do Trabalho, que conseguiu arrancar uma negociação ainda hoje (10), ao meio dia, entre o Comando de Greve e a Direção do Banco. Entretanto as expectativas não são boas pois o banco sinaliza apenas em manter as gratificações de caixas por apenas um mês após a mudança de função”, informa o Sindicato dos Bancários do RN.

Ainda segundo o sindicato, “os bancários do RN estão amparados por três liminares judiciais, duas do nosso sindicato (irredutibilidade dos salários de caixas e não transferência à revelia) e uma do sindicato do MA que impede o fechamento de agências em todo o Brasil. Entretanto são decisões provisórias que podem ser derrubadas em instâncias superiores, por isso a luta nesse momento é tão importante”.

BB é essencial nas crises

Durante a crise causada pelo coronavírus, o Banco do Brasil concedeu R$ 6,6 bilhões em crédito para 110 mil micro e pequenas empresas por meio do Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte).

Redução dos bancos públicos

Por outro lado, entre 2014 e 2020 o Banco do Brasil fechou 19,5 mil postos de trabalho (variação negativa de 17,5%) e a Caixa 16,9 mil (variação negativa de 16,9%), enquanto o Bradesco abriu 414 vagas (variação positiva de 0,4%), o Itaú fechou 1.920  (-5,1%), e o Santander 4,1 mil (-8,4%).

Mais lucro, menos funcionários e exclusão bancária

Entre 2016 e 2019, o lucro líquido ajustado do BB apresentou crescimento de 122%, passando de R$ 8,033 bilhões em 2016 para R$ 17,848 bilhões em 2019. No mesmo período, o banco fechou 19% das agências e reduziu o quadro de funcionários em 16%.

 

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *