CIDADANIA

Barbárie: comerciante bolsonarista amarra e espanca quilombola no interior do RN

Um homem negro, descendente de quilombolas, foi preso, amarrado e agredido por um comerciante do município de Portalegre, distante 370 quilômetros de Natal (RN).

O agressor foi identificado como Alberan Freitas e a vítima, Luciano Simplício. O crime aconteceu no sábado (11) e os dois foram levados para a delegacia de Pau dos Ferros. O caso também foi encaminhado para a Ouvidoria da secretaria de Estado de Direitos Humanos, de Mulheres, Juventude e Igualdade Racial.

Na unidade, Luciano foi autuado por depredação e Alberan por lesão corporal.

As informações foram divulgadas pelo portal Mossoró Hoje.

O vídeo em que Alberan aparece pisando no corpo de Luciano amarrado e no chão viralizou nas redes sociais nesta segunda-feira (13) pela barbárie que a cena representa. Várias pessoas remeteram a cena aos tempos escravidão.

“O que é meu eu tenho o direito de defender”, justifica o comerciante Alberan Freitas no vídeo da agressão enquanto Simplício grita de dor.

Após a repercussão nacional do caso, a governadora Fátima Bezerra determinou apuração rigorosa do crime:

Determinei ao secretário de Segurança, coronel Araújo, e à delegada-geral da Polícia Civil, dra. Anna Cláudia, a apuração imediata e rigorosa do caso que envolveu um quilombola em Portalegre e que deixou a todos estarrecidos”, escreveu no twitter.
Alberan Freitas foi autuado por lesão corporal contra Luciano Simplício / foto: reprodução Mossoró Hoje

O comerciante justificou a barbárie acusando Luciano de atirar pedras sobre o estabelecimento dele. Já a vítima informou que foi chamado de “drogado e bandido”, por isso teria atirado pedras contra a loja de Alberan.

A deputada estadual Isolda Dantas e as vereadoras Brisa Bracchi e Divaneide Basílio reagiram nas redes sociais ante a barbárie.

– Um corpo negro amarrado e sendo espancado – aqui no RN, em Portalegre. Isso não pode ser naturalizado! É preciso que sejam tomadas duras providências para que este crime de racismo seja punido e não volte a acontecer. É por isso que é tão importante a delegacia especializada em crimes de racismo no RN, como solicitamos ao @governodorn e outras ações de combate ao racismo que mata todos os dias. Vou acompanhar de perto os desdobramentos deste caso”, disse a parlamentar de Mossoró.

A vereadora de Natal Brisa Bracchi classificou como “linchamento” a barbárie cometida pelo comerciante de Portalegre

É um absurdo que o linchamento continue sendo prática cotidiana, ainda mais como política de violência contra corpos negros”, afirmou.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *