DEMOCRACIA

Blogueiro que difamou Greta Thumberg ataca memória de Marielle: “era miliciana no Rio de Janeiro”

O blogueiro e radialista mossoroense Gustavo Negreiros, que ganhou repercussão mundial em setembro de 2019 ao difamar a ativista ambiental sueca Greta Thumberg, voltou a atacar mais uma mulher. Dessa vez, a acusação foi direcionada à vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco, assassinada em 14 de março de 2018 e que virou referência internacional na luta pela defesa dos Direitos Humanos no Brasil.

Questionado por um colega de bancada do programa Jornal das Seis, na rádio 96 FM, se assistiria uma minissérie na Rede Globo sobre a vereadora, ele classificou a obra de “porcaria” e acusou Marielle de pertencer às milícias do Rio de Janeiro:

– Não, eu não vou assistir uma porcaria dessa não. Marielle era uma miliciana lá do Rio de Janeiro, vereadora que brigou com outra parte da milícia e foi assassinada. Isso é uma briga caseira.

As agressões do blogueiro ocorreram nesta terça-feira, 10 de março, dois dias após mulheres do Brasil e de várias partes do mundo saírem às ruas em protesto contra o machismo, o feminicídio e o avanço do fascismo. No próximo sábado (14), o assassinato de Marielle Franco completa dois anos sem que as autoridades tenham apontado ainda o mandante da execução da vereadora carioca.

Após as agressões gratuitas à memória de Marielle, o jornalista Dinarte Assunção, colega de bancada de Negreiros, o lembrou do caso da desembargadora do Rio de Janeiro Marília Castro Neves Vieira, processada em 2019 pela família da vereadora por escrever nas redes sociais que a parlamentar do PSOL era “engajada com bandidos”. O agressor, no entanto, confirmou a acusação:

– É porque no Brasil tem confusão, mas todo mundo lá (no Rio de Janeiro) sabe disso”, afirmou.

 Blogueiro foi “demitido” e recontratado pela mesma rádio após agressões a Greta Thunberg

Comentarista do programa Jornal das Seis, da rádio 96 FM, Gustavo Negreiros ofendeu em setembro de 2019 a ativista ambiental sueca Greta Thunberg, com 16 anos de idade na época e diagnosticada com autismo. Após um discurso de Greta ganhar repercussão mundial durante uma reunião da cúpula da Organização das Nações Unidas, o radialista disse que a garota era “histérica”, “mal amada” e que precisava “de um homem e de sexo”.

Em razão da repercussão negativa das agressões, todos os cinco patrocinadores (Unimed, Conjol, Oral Sin e Patrício Metais) do programa no qual ele participava cancelaram os contratos com a rádio. No mesmo dia, a rádio 96 FM anunciou a demissão do radialista, o que se configurou como um jogo de cena, uma vez que em dezembro do mesmo ano Negreiros foi recontratado e iniciou sua participação em outro programa da mesma rádio.

Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *