TRANSPARÊNCIA

Bolsonaro bloqueia mais de R$ 100 milhões das universidades no RN

Os cortes de 30% anunciados pelo governo Bolsonaro nos orçamentos das universidades e institutos federais já bloquearam R$ 102,8 milhões da UFRN, IFRN e UFERSA. Em números absolutos, o corte será maior na UFRN, onde foi bloqueado cerca de R$ 60 milhões. Os números foram confirmados pelo pró-reitor adjunto de Planejamento Jorge Dantas e incluem custeio e investimentos.

O IFRN terá que reavaliar seus custos contabilizando R$ 27 milhões a menos em caixa. Os cortes na Ufersa chegaram a R$ 15,8 milhões.

As reitorias da UFRN e IFRN divulgaram nota após a repercussão dos cortes nos respectivos orçamentos. Na universidade federal, a reitora Ângela Paiva disse que os bloqueios vão afetar o fomento às ações de graduação, pós-graduação, pesquisa e a capacitação dos servidores. Ela lembrou que já haviam sido realizados bloqueios de recursos de todas as emendas parlamentares autorizadas na Lei Orçamentária Anual:

– Este bloqueio da ordem de 30% informado agora no início do quinto mês do ano, se transformado em corte, terá um impacto expressivo no funcionamento da instituição”, disse.

A UFRN possui 116 cursos de graduação e mais 40 mil estudantes matriculados, oferecendo ainda 94 programas de pós-graduação, os quais contemplam aproximadamente 5.500 estudantes em todas as áreas do conhecimento.

– Recentemente, a Universidade alcançou a liderança na Região Nordeste na concessão de cartas-patentes, o que atesta seu compromisso com a pesquisa, inovação, empreendedorismo e aproximação com o setor produtivo”, completou a reitora, que deixa o cargo em maio.

O pró-reitor adjunto de Planejamento Jorge Dantas lembrou que a UFRN já está vem enfrentando dificuldades financeiras em razão do orçamento reduzido, semelhante ao de 2014:

– No geral esse bloqueio é importante porque é quase um terço do que a UFRN dispõe no orçamento. E olha que estamos trabalhando com o mesmo orçamento de 2014, ou seja, então já estamos trabalhando com racionalizações”, diz.

“O corte poderá inviabilizar o funcionamento do IFRN”, diz reitor

Tão o setor financeiro do IFRN detectou o bloqueio no orçamento do IFRN pelo governo federal, a reitoria da instituição se apressou em dar uma satisfação à sociedade. Através de nota dirigida à comunidade, o reitor Wyllys Farkatt Tabosa confirmou que o corte poderá inviabilizar o funcionamento do IFRN:

“O corte é significativo e poderá inviabilizar o funcionamento do IFRN. Nesse sentido, estamos buscando interlocução com diversos agentes públicos a fim de garantir a integralidade do orçamento do Instituto. Na próxima semana estaremos participando da Reunião do Conselho de Reitores (CONIF) para debatermos o tema e propor encaminhamentos. No dia 7, o Secretário de Educação Profissional e Tecnológica, Ariosto Culau, participará dessa reunião; no dia 8 haverá uma reunião do CONIF com a Frente Parlamentar dos Institutos Federais, na Câmara dos Deputados. No dia 10 há também uma audiência marcada com o Ministro da Educação, Abraham Weintraub. Além disso, fizemos contato com o coordenador da bancada federal, Deputado Federal Rafael Motta, para uma reunião com todos os deputados federais e senadores do Rio Grande do Norte. Em paralelo, discutiremos com toda a comunidade acadêmica do IFRN sobre a situação da Instituição e os impactos do bloqueio dos recursos orçamentários”, explicou o reitor.

 

Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *