DEMOCRACIA

Fábio Faria defende CPI da Covid no Senado e revolta Bolsonaro e assessores ligados ao presidente

O presidente da República Jair Bolsonaro e assessores ligados a ele estão revoltados com o ministro das Comunicações Fábio Faria (PSD) após publicações nas redes sociais feitas pelo potiguar no sábado (10) em defesa da CPI da Covid-19 no Senado.

A reação bolsonarista foi tão intensa e negativa contra Faria que o ministro precisou escrever outro twitter tentando explicar o que para assessores de Bolsonaro é indefensável.

Uma fonte da agência Saiba Mais ligada ao Palácio do Planalto informou que já começou o processo de fritura do ministro e não será surpresa se Fábio Faria for exonerado nos próximos dias.

Quando nomeou o potiguar para o cargo de ministro das Comunicações em julho de 2020, Bolsonaro disse à imprensa que estava nomeando o potiguar pela relação dele com o dono do SBT Sílvio Santos, de quem é genro.

Primeiro post de Fábio Faria defendendo a CPI da Covid no Senado:

Segundo post de Fábio Faria tentando “consertar” a primeira postagem:

A CPI da Covid-19 no Senado é uma questão extremamente delicada para Jair Bolsonaro. Na sexta-feira (9), o presidente chegou a agredir verbalmente o ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso aumentando ainda mais a temperatura entre o Bolsonaro e a Suprema Corte.

Barroso deferiu na quinta-feira (8) um pedido feito em janeiro por senadores de oposição para instalar uma CPI no Senado com o objetivo de apurar ações, omissões e irregularidades do governo Bolsonaro na condução da crise sanitária do país provocada pela pandemia. Ao todo, 31 senadores assinaram o pedido de criação da comissão – quatro a mais que os 27 exigidos pelo regimento.

Bolsonaro e assessores ligados ao presidente entenderam como uma traição de Fábio Faria a defesa da CPI num momento delicado para o Governo. Nos últimos dias, voltaram a circular imagens do ministro potiguar ao lado dos ex-presidentes Lula, Dilma e Temer mostrando que a aliança de Faria independe de ideologia, apenas de quem está no poder.

Fábio Faria é deputado federal pelo Rio Grande do Norte e caso seja exonerado voltaria para a Câmara dos Deputados na vaga ocupada hoje por Carla Dickson, ex-vereadora de Natal que, caso deixa o posto no legislativo federal, ficaria sem mandato.

 

 

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *