+ Notícias

Bolsonaro exonera secretário de Cultura após declaração nazista denunciada pelo Jornalistas Livres

Anúncios

O secretário especial da Cultura do governo Bolsonaro, Roberto Alvim, foi exonerado nesta sexta-feira (17) após a repercussão negativa de uma declaração dada por ele na qual usa parte de um texto de autoria do ministro da Propaganda da Alemanha Nazista Joseph Goebbels. A denúncia foi feito com exclusividade pelo Jornalistas Livres, coletivo de mídia alternativa fundado em 2015 com colaboradores na maioria dos estados brasileiros e em vários países do mundo.

Alvim, que ficou conhecido por chamar de “sórdida” a atriz Fernanda Montenegro, disse que “houve apenas coincidência” no uso das frases e arrematou: “a frase em si é perfeita”, disse, já na sexta, em entrevista ao Estadão.

O presidente da República Jair Bolsonaro cogitou manter Alvim no cargo, mas após pressão do presidente da Câmara Federal Rodrigo Maia (DEM/RJ), do presidente do Senado Davi Alcolumbre (DEM/AP) e a repercussão negativa do caso, chamou a polêmica de “pronunciamento infeliz” e o exonerou.

Confira a frase de Alvim e compare com o texto do ministro de Adolph Hitler:

“A arte brasileira da próxima década será heróica e será nacional, será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional, e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes do nosso povo – ou então não será”. (Roberto Alvim)

“A arte alemã da próxima década será heróica, será ferreamente romântica, será objetiva e livre de sentimentalismo, será nacional com grande phátos e igualmente imperativa e vinculante, ou então não será nada”. (Joseph Goebbels)

O presidente Jair Bolsonaro anunciou por meio de sua conta no Twitter a demissão do secretário de Cultura. Na noite anterior, em sua tradicional live nas redes sociais, Bolsonaro fez elogios a Alvim, que estava ao seu lado.

“Depois de décadas, temos um secretário de Cultura de verdade, que atende o interesse da maioria da população brasileira, uma população conservadora e cristã”, disse.

Horas depois veio à tona o vídeo em que Roberto Alvim parafraseia Goebbels. Bolsonaro ainda soltou uma nota encerrando o caso:

Comunico o desligamento de Roberto Alvim da Secretaria de Cultura do Governo. Um pronunciamento infeliz, ainda que tenha se desculpado, tornou insustentável a sua permanência. Reitero nosso repúdio às ideologias totalitárias e genocidas, bem como qualquer tipo de ilação às mesmas.  Manifestamos também nosso total e irrestrito apoio à comunidade judaica, da qual somos amigos e compartilhamos valores em comum.

Anúncios

Presidente Jair Bolsonaro

Declaração do Presidente Jair Bolsonaro através do Twitter na tarde de hoje (17)

No Twitter, artistas e políticos reivindicaram a saída de Roberto Alvim da pasta de Cultura e do governo. No Brasil, de acordo com o disposto na Lei 7.716/89, o Crime de Divulgação do Nazismo confere multa e pena de dois a cinco anos de reclusão.

Confira algumas declarações:

Charge publicada pela cartunista Laerte
Anúncios
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *