OPINIÃO

Bolsonaro quer lhe armar?

No vídeo da reunião anti-democrática divulgada ontem (22), Bolsonaro afirmou querer armar o povo para que possa se autodefender de um ditador e que, portanto, não poderia ser confundido com um ditador. O que ele não disse é que o Povo, o Povão, não tem dinheiro nem para comer, quanto mais para comprar arma. Uma arma com custos de legalização custa em média a “bagatela” entre 7 a 10 mil reais.

É importante lembrar que, para Bolsonaro, o conceito de Povo não é o conceito real, mas sinônimo de seus apoiadores. Ele sabe que está armando alguns fascistas que o elegeu, sabe que está armando uma classe privilegiada contra os desvalidos e seus opositores ideológicos. Bolsonaro vê todos que se opõe às suas políticas como inimigo a ser literalmente exterminado, o que alimenta ainda mais a sanha dos fascistas. Tanto é assim que após liberar a compra de armas de fogo de uso restrito, através do Decreto n° 10.030, de 30 de setembro de 2019, decidiu neste ano revogar três portarias do Comando Logístico (Colog) do Exército que definiam as normas para o acompanhamento e o rastreamento de produtos controlados pelo Exército no país e os dispositivos de segurança, identificação e marcação das armas de fogo fabricadas no Brasil, exportadas ou importadas.

Os objetivos dessas liberações sobre o pretexto de auto-defesa contra criminosos na verdade são dois: o primeiro é criar um Exército privado de atiradores civis e milicianos para exterminar os seus opositores políticos e a própria frágil democracia que o elegeu, fato confirmado pelas ameaças no vídeo feito a governadores democraticamente eleitos. Já o segundo é o de privilegiar suas conexões com milicianos a quem rende homenagens.

Caso a maioria do povo de fato estivesse se armando, inclusive aqueles contrários ao seu desgoverno, Bolsonaro já teria se transformado no maior desarmamentista do Brasil. O seu discurso armamentista é de conveniência, basta notar como ele fala de experiências revolucionárias de Esquerda pelo Mundo.

O próprio Bolsonaro deu o norte na reunião fascista:

“Que o povo se arme! Que é a garantia que não vai ter um filho da puta aparecer para impor uma ditadura aqui!”.

O que ele não entende é que as atitudes escancaradas são nitidamende, além de fascistas, ditatoriais. É preciso, portanto, que o Povo perceba, o quanto antes, que o ditador é próprio Bolsonaro, e que tínhamos muito mais liberdade e dignidade em governos anteriores ao dele, no período pós-ditadura de 1964.

Ainda segundo Bolsonaro, quando a Esquerda se arma comete crime, mas quando a Direita se arma tem-se autoproteção. Ou seja, ele parafraseia Maquiavel na prática: “Aos amigos do rei as benesses da lei, aos inimigos os rigores da lei”.

Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *