CULTURA

Brasil lamenta a morte de João Gilberto, o gênio da bossa nova

Anúncios

O cantor, compositor e violonista baiano João Gilberto, considerado um dos pais da Bossa Nova, morreu hoje (6) aos 88 anos, na cidade do Rio de Janeiro. A informação foi confirmada pelo filho do artista Marcelo Gilberto, que também é músico, em seu perfil na rede social Facebook. A causa da morte não foi divulgada

O artista, conhecido por sua reclusão e perfeccionismo, cimentou as bases da Bossa Nova com os discos Chega de Saudade (1959), O Amor, o Sorriso e a Flor (1960) e João Gilberto (1961). Chega de Saudade, de autoria de Vinícius de Moraes e Tom Jobim, é uma das músicas mais famosas tocadas por João Gilberto. O álbum jazz e bossa nova Getz/Gilberto (1964), uma parceria com o saxofonista estadunidense Stan Getz, foi premiado com o Grammy. Ele também fez composições próprias, como Bim-Bom e Oba-la-la.

A última vez em que João Gilberto pisou nos palcos foi em 2008, por ocasião das comemorações dos 50 anos da Bossa Nova. Houve uma expectativa de que ele voltasse aos palcos em novembro de 2011, em uma turnê nacional com o show João Gilberto 80 anos – Uma Vida Bossa Nova. Mas a primeira apresentação que seria realizada na capital paulista foi cancelada por motivos de saúde do músico e a turnê acabou não acontecendo.

O compositor foi visto cantando e tocando violão pela última vez em 2015: ele aparece em vídeos postados na rede social Facebook por Claudia Faissol, mãe de Luisa, filha caçula do cantor. João estava de pijama e tocava e cantava Garota de Ipanema ao lado da filha.

Anúncios

Devido a problemas financeiros e de saúde do cantor, a filha dele Bebel Gilberto conseguiu a interdição do músico no último dia 15 de novembro. O processo corre em segredo de justiça na 5ª Vara de Órfãos e Sucessões do Rio de Janeiro.

Cantores e artistas brasileiros lamentaram hoje (6) a morte do cantor e compositor João Gilberto. Por meio das redes sociais, amigos e fãs postaram suas homenagens ao Pai da Bossa Nova.

Em seu perfil no Instagram, a cantora Gal Costa postou um foto antiga ao lado cantor e disse: “Se foi João Gilberto o maior gênio da música brasileira. Influência definitiva no meu canto. Fará muita falta mas seu legado é importantíssimo para o Brasil e para o mundo”.

O cantor Ed Motta também postou uma mensagem no Instagram em homenagem a João Gilberto. “Um capítulo seminal da arte desse planeta descansa hoje. Que artista imenso, descanse em paz mestre supremo”.

O escritor e dramaturgo Walcyr Carrasco prestou condolências aos familiares do cantor e afirmou que João Gilberto foi um dos músicos mais importantes e influentes do Brasil.

A cantora Maria Bethânia também lembrou dos momentos ao lado do amigo e disse que a cultura brasileira perdeu uma personalidade lendária.

“Todo e total respeito e reverência a essa entidade da Música Brasileira. Descanse em paz, João Gilberto!”, publicou a cantora.

Caetano Veloso reconheceu sua influência a partir da batida de João Gilberto:

“Acabo de saber que João Gilberto morreu. É um acontecimento de imensa importância para mim. Porque, tudo somado, João Gilberto é, no meu ponto de vista, o maior artista de todos. No momento exato, preciso da minha vida, ele apareceu dando sentido mais profundo à percepção das artes em qualquer estágio. Nem sei o que dizer pelo fato de que ele deixou de existir como pessoa física.”

O jornalista Arthur Dapieve falou da importância de João Gilberto para a internacionalização da música brasileira:

“O Brasil perde um gigante, um dos grandes responsáveis por ter internacionalizado a música brasileira, por ter dado uma cara internacional à música brasileira, e também por ter influenciado de variadas maneiras uma geração brilhante de músicos, que é o pessoal que surgiu na década seguinte à que ele surgiu, o pessoal da década de 1960, da MPB, todos eles sempre falavam com reverência à João Gilberto. A influência dele aqui é imensa e também a reverberação da música dele lá fora é também imensa. Então a gente perdeu um dos grandes nomes das artes brasileiras. Um sujeito que levou o samba a um outro caminho.”

Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *