CIDADANIA

Cajueira: newsletter dá visibilidade aos veículos e projetos de jornalismo da região Nordeste

“Rincões”, “Brasil profundo” ou mesmo “Brasil de dentro” são alguns dos chavões favoritos do jornalismo entendido como nacional para atribuir histórias à maior região do país: o nosso Nordeste. Sentindo falta de um tratamento de notícias menos estereotipado e independente, três jornalistas formularam a newsletter Cajueira, um produto quinzenal que faz uma curadoria do que tem sido produzido pelos veículos do Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia.

“É como se a gente pudesse ir até cada um e dizer: olha só o que está sendo produzido no seu Estado. A resposta que estamos tendo até o momento tem sido bastante positiva”, indica a jornalista Mariana Ceci, potiguar que integra o projeto..

Basta entrar no endereço da Newsletter e adicionar um endereço de e-mail para receber, a cada quinze dias, nas quintas-feiras, uma nova edição com uma seleção do que chamou a atenção nesse período. Os textos introdutórios têm links para os portais, podcasts, canais do Youtuber ou qualquer tipo de plataforma onde tenha sido originalmente publicado o conteúdo.

“A newsletter surgiu a partir de uma inquietação coletiva nossa, de ver que todos os assuntos relacionados ao Nordeste eram tratados como pautas “regionais”, nunca nacionais. Me incomodava muito saber tudo que estava acontecendo em São Paulo e nada do que estava acontecendo no Ceará, na Paraíba… E quando nos encontramos e descobrimos que esse incômodo era compartilhado não só por nós, mas por muita gente da região”, conta a jornalista.

A ideia partiu de Mariama Correia, periodista de Pernambuco. Hoje, participam também da curadoria Joana Suarez (PE-MG), Mariana Ceci (RN) e Nayara Felizardo, do Piauí. O trabalho ainda é voluntário. A escolha dos assuntos abordados e dos veículos é feita a partir de uma lista que foi previamente montada de forma colaborativa, e segue em atualização. 

Na ocasião de lançamento, em 25 de novembro de 2020, a newsletter surge como um manifesto “pela reinvenção do Nordeste”, parafraseando a obra do historiador Durval Muniz.

“Pesquise Nordeste no Google e verá. Predominantemente, você vai encontrar imagens de paisagens ressequidas ou de praias. Essa visão polarizada persiste, de muitas formas, no discurso da mídia hegemônica”, levanta a edição 0 da Cajueira, que continua:

“Cajueira brota na terra das newsletters como uma árvore para mostrar os “frutos suculentos” que nascem no Nordeste”.

Em quatro meses, o projeto já tem 1.073 inscritos. O boletim de notícias também já saiu em matéria traduzida para o inglês e espanhol do Knight Center, plataforma voltada a cursos e informações sobre jornalismo nas Américas. Agora, o maior desafio das organizadoras é encontrar uma forma de financiamento ao projeto, uma questão que atravessa todos os novas iniciativas de criação de conteúdo, principalmente nos estados nordestinos.

“Já chegamos a entrevistar pessoas que comandam portais independentes aqui do Nordeste, e a questão do financiamento é sempre uma constante no discurso deles sobre as principais dificuldades que eles enfrentam para manter o veículo”, conta Ceci.

Na última edição, lançada nesta quinta-feira, 4, o boletim chama a atenção para projetos nordestinos de jornalismo independente encabeçados por mulheres. Falam sobre as responsáveis pelo Kilombas Podcast, Alice Sousa e Letícia Feitosa, duas cearenses que produzem episódios semanais dando prioridade aos assuntos relacionados às negras nordestinas. Também do Ceará, a newsletter cita o site Negrê, de Larissa Carvalho e Sara Sousa, que reúne diversos colunistas de diferentes estados para pautar a negritude; além da Eco Nordeste, agência fundada por Maristela Crispim, também no Ceará, onde se escreve sobre meio ambiente, direitos humanos e diversos assuntos pouco abordados na mídia tradicional. 

Dentre os muitos veículos que a newsletter já deu visibilidade estão: Marco Zero Conteúdo (PE), Moderna Parahyba (PB), Agência Tatu (AL), os podcasts de política “As Cunhãs” (CE) e Malamanhadas (PI), o “Sem Migué”, projeto de checagem de conteúdo eleitoral (MA), o Contrafluxo, programa de rádio natalense e a própria agência Saiba Mais.

Para ter acesso ao Cajueira, basta visitar o cajueira.substack.com e inscrever um endereço de e-mail.

 

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *