DEMOCRACIA

Candidato à presidente de Robinson será Geraldo Alckmin

Anúncios

A palavra é reciprocidade. Para atrair aliados e fortalecer a candidatura de Geraldo Alckmin à presidência da República, o PSDB nacional negociou apoios a palanques políticos nos Estados com DEM, PP e PSD.

Os tucanos fecharam apoio ao DEM na Bahia, Pará e Amapá; ao PP no Paraná e no Acre; e ao PSD no Amazonas e no Rio Grande do Norte.

Controlado pelo presidente da Assembleia Legislativa Ezequiel Ferreira de Souza e pelo deputado federal Rogério Marinho, o PSDB potiguar seguirá o projeto de reeleição de Robinson Faria (PSD).

Em troca, o PSD de Robinson Faria terá que defender a candidatura à presidente de Geraldo Alckmin no Rio Grande do Norte.

Foi o que ficou acertado nas negociações entre a cúpula nacional dos dois partidos.

Porém, dificilmente os eleitores vão ver Robinson pedindo votos abertamente ao tucano Alckmin.

Refém da crise da Segurança Pública no Estado e sem conseguir pagar o salário dos servidores há 25 meses consecutivos, Robinson perde mais eleitores se declarar apoio a um candidato à presidente sem prestígio no Nordeste.

Na atual realidade do Estado e do país, ninguém sabe quem perde mais: se Alckmin declarando apoio a Robinson ou Robinson declarando apoio a Alckmin.

Em maio, em pesquisa divulgada pela FIERN/Certus, Geraldo Alckmin obteve menos de 1% da preferência do eleitorado potiguar.

Na mesma pesquisa, Lula foi apontado como o preferido dos potiguares com 40% das intenções de votos, seguido de Jair Bolsonaro (7,7%), Ciro Gomes (2,98%) e Marina Silva (2,91%).

Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *