Carlos Fialho escreve às segundas-feiras

Meu amigo Fabrício

O escritor e publicitário Carlos Fialho escreve hoje sobre a relação real do primeiro amigo virtual que fez na vida. Tempos distantes de golpes e tão próximos do MIRC. Entendedores entenderão

A agonia de um torcedor apaixonado

Amanheceu no sábado dizendo para si mesmo: “vou ocupar meu dia, não quero saber de jogo, não vou sofrer de novo, meu coração pode ter um problema aí, vou morrer por causa de porra de futebol? Vou não!”, garante. Será ?

Ana Clara Dantas escreve às sextas-feiras

56, via Costeira

E em qualquer lugar tem sempre um calorzinho crescendo dentro de alguém. Parece coisa pequena, mas é o que vem colando as feridas. Sim, essas que se abrem de tanto cismarmos com o tempo, com a vida.