O historiador Durval Muniz escreve aos domingos na agência Saiba Mais

O ano dos avestruzes

ano que está acabando, 2017, foi para os promotores do golpe jurídico-midiático-parlamentar de 2016, para seus apoiadores entusiastas, para os amarelinhos, coxinhas, antipetistas, para os militantes da direita, um ano marcado pelo “comportamento de avestruz”.

João Victor escreve aos sábados

Os dias de cão acabaram? Não, mas isso não é algo ruim

Nossos pais, para garantir proteção sempre, estimularam a ideia de que a vida seria menos cruel conosco do que fora com eles  e que cumprida algumas etapas, as benesses seriam sem fim. Não é bem assim, ainda bem.

Realismo esperançoso

Para nós, que utilizamos o calendário gregoriano, é o fim de mais um ano, momento em que é comum a reflexão do que fizemos e vivemos no ciclo que se encerra, e idealização de projetos para o ano seguinte, tempo de renovar desejos e utopias.

A esperança do gatinho

Caminho na rua, e escuto um filhote de gato abandonado miando em algum ponto no mato e meus ouvidos, hiper sensíveis a apelos felinos, tem que tomar uma rápida decisão: seguir em frente e ignorar, ou me permitir me sensibilizar?

Eveline Sin escreve às quartas-feiras na agência Saiba Mais

Era Dezembro

já erguida num silêncio transversal andava lentamente até a escadaria vermelha. a parede de tijolos desenhava a cena de um filme sem sentido.