OPINIÃO

Celebrando o modo petista de resistir

Construir um partido político é um desafio. Uma tarefa que requer convicção, entrega e amor à causa. Neste dia em que comemoramos os 39 anos do PT é impossível não lembrar com emoção daquelas/es que dedicaram a vida para fundar o maior partido de esquerda da América Latina.

Nascemos das lutas sociais, da resistência democrática e do sonho de organizar a luta da classe trabalhadora. Depois de quase quatro décadas de história, ainda somos movidas/os pela esperança de formar uma sociedade mais igual, mais justa e mais fraterna.

Faço essa reflexão não apenas do lugar de vereadora de Natal que ocupo agora, mas como uma das milhões de brasileiras/os que tiveram a vida transformada pelo modo petista de fazer política.

Vi o PT crescer, eleger as/os primeiras/os parlamentares, fazer as/os primeiras/os gestoras/es e mostrar o que significava o “jeito petista de governar”.

Quando adolescente, como militante da Pastoral da Juventude do Meio Popular e recepcionista do então vereador Fernando Mineiro, contribuí com o trabalho de formação de bases nas periferias de Natal e do RN.

Em 2002, participei diretamente da eleição de Lula, numa campanha que venceu o medo e teve como maior legado a construção de uma política de distribuição de renda que tirou 36 milhões de brasileiros da miséria extrema, reconheceu e ampliou os direitos das mulheres, da juventude, das/os negras/os, das/os camponesas/es e da população LGBT, reduziu a miséria, a desigualdade social e abriu as portas das universidades para as/os filhas/os da classe trabalhadora.

Com Dilma presidente, tive a oportunidade de atuar como chefe de gabinete da Secretaria Nacional de Juventude e ajudar a construir o Estatuto da Juventude e o programa Juventude Viva, que promoveu ações para esse segmento da sociedade em parceria com vários ministérios, governos estaduais e prefeituras em todo o país.

Sei o que significa o modo petista de legislar, o modo petista de governar, e nos tempos atuais, onde setores da elite conservadora, do judiciário, do legislativo e da grande mídia plutocrata atuam para criminalizar o PT e a esquerda, vivo uma nova etapa da minha militância: estou aprendendo o modo petista de resistir.

Na Câmara Municipal de Natal, onde começamos a exercer nosso primeiro mandato, reclamando o lugar de primeira vereadora negra da cidade, vamos seguir sendo resistência, defendendo nosso legado e enfrentando o conservadorismo.

O povo desse país, mesmo entorpecido pela cultura do ódio e a rede de notícias falsas (FakeNews), não esqueceu como a vida é melhor quando o PT governa e legisla.

É com esse sentimento e convicção que dou meus parabéns ao Partido dos Trabalhadores pelos seus 39 anos.

Vida longa ao PT!

#PT39Anos

Artigo anteriorPróximo artigo
Divaneide Basílio
Divaneide Basílio é vereadora de Natal e filiada ao Partido dos Trabalhadores (PT)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *