CULTURA

Primeiro romance de Cellina Muniz conta a história de boêmia e guerra de um jornalista natalense

Uma narrativa de ficção misturada a fatos conta a história de um jornalista, escritor e boêmio que tinha o desejo de lançar na cidade de Natal um jornal de humor. A época poderia ser um tanto inoportuna ou oportuna demais, já que a cidade estava ocupada pelos americanos, período tenso da Segunda Guerra Mundial.

O herói da história foi batizado pela mãe como José Fagundes, porém, nas colunas de humor sua assinatura era “Zé do Frevo”, já suas amizades o chamavam de Fáfá ou José. Jovem, leitor, escritor e apaixonado por Natal, Zé do Frevo sonhava junto ao amigo Chico Folia  editar “O Bombo”, que agora virou livro pelas mãos da pesquisadora, professora e escritora Cellina Muniz.

O Bombo, Guerra e Paz em Natal será lançado nesta quarta-feira (19), a partir das 18h no Bardallos Comida e Arte. O evento também será embalado pela música de Reinaldo Azevedo e Quarteto Instrumental.

O Livro O Bombo é o primeiro romance da escritora Cellina Muniz. A obra é também uma comemoração dos seus 10 anos na cidade. De acordo com a pesquisadora de lugares e hábitos da capital potiguar, na época da Natal dos anos 40 o jornal O Bombo realmente circulou na cidade, descoberto através de uma longa pesquisa sobre a inspiração cômica do jornalismo local no começo do século XX, que teve como fruto o livro “Noticias da Jerimumlândia – A imprensa de humor em Natal na Bélle Époque”.

Publicado pela editora Sebo Vermelho, a escritora queria, desde a época de sua pesquisa, escrever a história de um dos jornalistas cômicos da cidade. “Decidi lançar o livro, que era um projeto antigo. Ele se tornou uma forma de celebrar, agradecer e festejar a minha primeira década nessa cidade que me acolheu tão bem”, disse Cellina.

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Kamila Tuenia
Jornalista potiguar em formação pela UFRN, repórter e assessora de comunicação.