DEMOCRACIA

Ciro Gomes pede voto para José Agripino Maia em comício no interior do RN; veja vídeo

O candidato à presidência da República pelo PDT Ciro Gomes participou neste sábado (22) de um comício no município de João Câmara, distante 80 quilômetros de Natal. Ele apoia a candidatura ao Governo do Rio Grande do Norte do ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves, também do PDT.

Durante o evento, Ciro fez um discurso de mais de 20 minutos enfatizando a questão do desemprego, da segurança pública e também pediu voto aos eleitores para o senador e candidato a deputado federal José Agripino Maia (DEM), líder de uma das principais oligarquias em atividade na região Nordeste.

– (vocês) tem uma tradição de politização. Eu sou amigo dos políticos daqui tudo (sic) vou até pedir um votinho aqui para Zé Agripino, deputado federal, porque eu fui colega dele.

João Câmara é um conhecido reduto de agripinistas. O candidato à presidência da República de Agripino Maia, no entanto, é o tucano Geraldo Alckmin.

 José Agripino Maia é investigado em quatro inquéritos no Supremo Tribunal Federal. Em dois deles a Justiça já aceitou a denúncia e transformou o senador potiguar em réu. Num dos processos, Maia é acusado de receber propina no valor de R$ 1 milhão das obras superfaturadas do estádio Arena das Dunas. Ele teria intercedido pessoalmente junto ao BNDES para a liberação de pagamentos em favor da construtora OAS.

Na outra ação, o Ministério Público também acusa Agripino de participar de um esquema de corrupção para a implementação da inspeção veicular no Detran. O parlamentar, segundo a denúncia, teria recebido R$ 1 milhão do consórcio que fraudou a licitação.

Agripino Maia iniciou a pré-campanha como candidato à reeleição para o Senado, mas diante das dificuldades de viabilizar o nome e em razão dos processos que responde na Justiça, ele desistiu e optou por tentar uma vaga para a Câmara Federal. Oficialmente ele nega que os processos tenham relação com a desistência e diz que optou pela mudança para ajudar a chapa de Carlos Eduardo.

O ajuste na campanha sacrificou a candidatura do filho Felipe Maia, deputado federal que não disputará a reeleição em 2018.

Além de José Agripino Maia, o senador Garibaldi Alves (MDB) também compõe a chapa do candidato do PDT ao Governo Carlos Eduardo Alves e não subiu no palanque de Ciro Gomes.

Em entrevistas recentes, Ciro afirmou que, caso seja eleito presidente da República, o MDB irá para a oposição.

Ciro em João Câmara

Em João Câmara, Ciro Gomes fez um discurso repleto de números e enfatizando a questão do desemprego no país. Ele demonstrou conhecimento sobre as regiões do Estado, citando as potencialidades de alguns territórios. O candidato do PDT também abordou temas como a segurança pública. O Rio Grande do Norte é um dos estados mais violentos do país.

Sobraram críticas aos governos Dilma, Temer e ao candidato à presidência da República Jair Bolsonaro (PSL), que lidera a corrida para o Palácio do Planalto. Segundo Ciro, Bolsonaro foi vítima do próprio discurso, numa referência à facada que levou durante um ato de campanha em Juiz de Fora (MG).

O candidato do PT Fernando Haddad também foi bastante criticado. Ele elogiou Haddad como pessoa, mas lembrou da derrota ainda no 1º turno, em São Paulo, para o empresário João Dória.

Embora Ciro tenha subido o tom das críticas à Dilma e Haddad, sobraram afagos ao ex-presidente Lula, de quem o ex-governador do Ceará se diz amigo.

No final, pedi votos para o candidato ao Governo do PDT no RN Carlos Eduardo Alves.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *