CULTURA

Clipe da canção inédita “Carne dos Rios” reacende corações na voz de Terezinha de Jesus

Um reencontro com um dos grandes nomes da nossa música promete aquecer corações. Nesta sexta-feira (5), a cantora potiguar Terezinha de Jesus lança o videoclipe “Carne dos Rios”, às 20h, em seu canal no YouTube. A música, apesar de ter sido gravada agora, foi composta nos anos 80 e permaneceu inédita todo esse tempo.

O clipe é mais um dos diversos gravados para os cinco discos lançados ao longo da carreira pela artista, que deixou a capital potiguar em 1972 para fazer história no cenário musical do Rio de Janeiro. Seu terceiro disco, “Pra incendiar seu coração”, gravado na década de 80, a colocou no topo das paradas de sucesso. De norte a sul do país se ouvia a voz de Terezinha nas rádios.

De volta à carreira em Natal desde a década de 90, Terezinha conta que a escolha pela música do seu mais novo videoclipe envolve dois grandes amigos. “Carne dos Rios” tem letra de Abel Silva e música de Mirabô Dantas. “Fico feliz ao ver Terezinha de Jesus interpretá-la, agora, com um bonito arranjo do maestro Franklin Nogvaes”, afirma Mirabô Dantas.

Foi do compositor Abel Silva que Terezinha Menezes da Cruz ganhou a alcunha de Terezinha de Jesus. “É porque gostamos da voz de Terezinha de Jesus mesmo. Da voz e dela própria, mulher tão brasileira, alma musical, afinada, sensível”, justificou Abel Silva a sua escolha na época.

Para Terezinha, gravar novamente um videoclipe, depois de décadas, “é sempre o mesmo prazer. Sempre gostei muito de gravar, mais a voz que a imagem”.

Interrompida pela pandemia, a produção levou 3 meses, mas ao longo de um período de um ano, e é resultado do edital Fomento à Cultura Potiguar 2019, do Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio da Fundação José Augusto. A direção geral é da cineasta Suerda Morais, que também assina o roteiro e a montagem com Jacques Júnior.

Eu alimentava um desejo de produzir algo sobre Terezinha e ano passado Suerda Morais me convidou para fazer parte da equipe.  Foram cerca de 3 meses de produção, 5 locações, uma equipe afinada e com muita sintonia, o que resultou em um trabalho lindo e sensível, à altura da diva da canção potiguar, Teresinha de Jesus”, afirma a roteirista e escritora Rosália Figueiredo, que integrou a equipe de assistência de direção.

O arranjo e os teclados levaram a assinatura do maestro Franklyn Nogvaes e o violão acústico ficou a cargo de Rafael Gonzaga. A gravação foi realizada no estúdio Zam Áudio Pro, do produtor musical Zé Marcos de Almeida. Já a mixagem, no Estúdio Olho de Hórus.  A direção de fotografia é de Alex Régis.

Sobre a artista

Natural de Florânia, interior potiguar, Terezinha Menezes da Cruz vem de uma família musical. Começou a cantar na adolescência, no coral da escola. Sua primeira apresentação foi aos 19 anos, no teatro Alberto Maranhão, acompanhada da irmã Odaíres e do cantor Mirabô Dantas.

Aos 21 anos, foi para o Rio de Janeiro morar com outra irmã, a Grace. Lá, faz faculdade de Música e passa a cantar com artistas como Paulinho da Viola, Gonzaguinha, Elba Ramalho e Morais Moreira.

Entre 1979 e 1983, Terezinha lança cinco LPs, explodindo nacionalmente com o sucesso “Pra incendiar seu coração”, composta por Morais Moreira e Patinhas. Na década de 90 volta para o Estado, onde segue com a carreira.

No dia 3 de julho de 2020 completou 69 anos com a realização de uma live em seu perfil no Instagram.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *