CIDADANIA

Colunista do jornal O Globo responsabiliza Cuba pela crise política criada por Bolsonaro

Anúncios

O jornalista Merval Pereira não surpreende. Na coluna deste sábado (17), publicada no jornal O Globo, o funcionário nº 1 da família Marinho culpou o governo cubano pela pane no programa Mais Médicos provocada pela saída de mais de 8 mil cubanos que devem deixar aproximadamente 24 milhões de brasileiros pobres sem atendimento médico em todo o país.

– A crise que pode afetar milhões de brasileiros com a saída imediata dos médicos cubanos deve ser atribuída, em primeiro lugar, ao governo de Cuba, que decidiu usar os carentes brasileiros para retaliar um governo de direita que venceu a eleição presidencial com críticas ao programa e a Cuba”, diz.

Em nenhum momento do texto, porém, Pereira cita as ameaças ou as agressões de Jair Bolsonaro aos médicos cubanos, como as insinuações de que os cubanos que vieram pelo programa não seriam sequer médicos.

A agência Lupa, que checa declarações de personalidades brasileiras na imprensa, já havia detectado que Bolsonaro mentiu quando usou como um dos argumentos para atacar o programa o de que Cuba não permite a vinda de familiares dos médicos para o Brasil. Organização Pan-Americana da Saúde negou essa informação. Ainda assim, Merval Pereira repetiu o mesmo discurso.

Anúncios

Para o colunista de O Globo, a saída para a crise política e social criada por Bolsonaro é mais fácil do que se imagina: basta convocar os brasileiros que ficaram na lista de espera.

– “A solução, porém, é mais fácil do que parece. No lugar dos cerca de 8 mil médicos cubanos que deixarão o país, basta convocar imediatamente os cerca de 8 mil médicos que se candidataram na mais recente seleção para o programa, para apenas 983 vagas oferecidas aos brasileiros”, afirmou.

Quando o programa foi criado no governo Dilma, é importante lembrar, a preferência era dos médicos brasileiros. Os estrangeiros só foram chamados porque os colegas brasileiros não aceitaram o salário nem os destinos, boa parte em cidades pequenas sem estrutura, onde trabalha boa parte dos cubanos que vieram.

Matéria da agência Saiba Mais publicada quinta-feira (15) revelou que, no Rio Grande do Norte, um médico cubano chega a custar menos da metade do que um médico brasileiro para algumas prefeituras do interior do Estado. Leia aqui

Com uma ideia genial como essa, o jornal O Globo corre o risco de perder seu principal colunista.

E Bolsonaro, se continuar esperto, pode ganhar um ministro para a Saúde.

Anúncios
Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

5 Comments

  1. I do not know if it’s just me or if perhaps everybody else encountering problems with your website.
    It appears like some of the written text on your content
    are running off the screen. Can somebody else please provide feedback and let me know if this is happening to
    them as well? This might be a issue with my web browser because I’ve had
    this happen before. Appreciate it http://milk.super10.cc

  2. I do not know if it’s just me or if perhaps everybody else encountering problems with your website.

    It appears like some of the written text on your content are running off the screen. Can somebody
    else please provide feedback and let me know if this is happening to them as well?
    This might be a issue with my web browser because I’ve had this happen before.
    Appreciate it http://milk.super10.cc

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *