TRANSPARÊNCIA

Com 900 mil seringas em estoque, Rio Grande do Norte tem quase o dobro necessário para 1ª fase de vacinação contra covid-19

O Rio Grande do Norte tem em seu estoque um total de 900 mil seringas que podem ser usadas na vacinação contra a covid-19. Além disso, outros dois milhões de seringas estão em fase de aquisição, segundo o Plano de Vacinação do Estado. As seringas que vão ser compradas têm agulhas de 25×6 e 20 x 5,5 milímetros destinadas, especificamente, à vacinação contra o novo coronavírus. As unidades já em estoque serão usadas na primeira fase de vacinação e as demais que forem adquiridas, nas outras fases da imunização.

“A vacinação no RN está na dependência da chegada da vacina covid enviada pelo Ministério da Saúde que tem previsão para o final de janeiro, pelo que foi pactuado com os governadores de todo o país. Em relação aos insumos de seringas e agulhas, o Rio Grande do Norte tem quantidade suficiente em estoque para uma primeira fase. Nós temos um estoque de 900 mil seringas e agulhas e um grupo prioritário nessa primeira fase de 239 mil pessoas. Como devem ser duas doses nessa primeira fase, temos folga para isso. Para as próximas fases, já estamos adquirindo dois milhões de seringas, o que nos traz bastante segurança”, detalha Lyane Ramalho, responsável pelo setor de planejamento e gestão da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap).

A Governadora Fátima Bezerra postou em suas redes sociais que nesta sexta (8) vai se reunir com a força-tarefa que trabalha nas questões ligadas à covid-19, juntamente com prefeitos e os secretários de saúde dos municípios para apresentar o Plano de Vacinação para o RN. De acordo com o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, o Brasil já garantiu 300 milhões de doses de vacinas covid-19 por meio dos acordos como o da Fiocruz/AstraZeneca (100,4 milhões de doses até julho mais 30 milhões de doses/mês no segundo semestre); Covax Facility (42,5 milhões de doses); e a Pfizer, com 70 milhões de doses em negociação.

Por enquanto, o Rio Grande do Norte assinou apenas um memorando de entendimento com o Instituto Butantan. O documento é uma espécie de protocolo de intenções para a compra da vacina. O estado ainda depende da autorização da ANVISA para organizar o cronograma de vacinação, porém já foram definidos alguns pontos do processo:

1ª etapa:

Serão vacinadas 827.844 pessoas entre trabalhadores de saúde, indígenas, quilombolas, pessoas com 75 anos ou mais, pessoas de 60 a 74 anos, pessoas com comorbidades, professores do Ensino Básico ao Superior, pessoas privadas de liberdade (adolescentes e jovens sob medida socioeducativa), funcionários do sistema prisional e força de segurança e salvamento.

Câmaras frias

O Governo do Estado também está com processos de aquisição de câmaras frias e, a depender da necessidade de armazenamento de vacinas em baixas temperaturas (Pfizer), foi fechada parceria para utilização dos freezers da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Também houve aumento da frota de veículos que realizará a distribuição das vacinas.

Salas de vacinação

Há em todo o Rio Grande do Norte 1.355 salas de vacinas nos municípios, que funcionarão como pontos de vacinação. Caso a quantidade de salas seja insuficiente, a vacinação fora dos postos ficará a cargo da organização de cada município. A imunização poderá ocorrer em espaços como condomínios, abrigos para idosos e drive thru, desde que obedeçam as regras sanitárias contra a covid-19.

Vacinação no Brasil

Com o fracasso do “pregão” eletrônico realizado pelo governo federal para compra de seringas e agulhas que seriam usadas na vacinação contra covid-19. O Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, fez pronunciamento em rede de rádio e televisão afirmando que o Brasil está pronto para começar a vacinação contra o novo coronavírus neste mês de janeiro. O ministro garantiu que o Brasil tem 60 milhões de seringas e agulhas em estoque. Depois de restringir a exportação desse tipo de material, o governo agora zerou o imposto de 16% que era cobrado sobre os itens. As empresas que ainda apresentaram propostas cobriram apenas 2,4% do total necessário. Ou seja, o Governo tinha a intenção de comprar 331 milhões de seringas e agulhas, mas a oferta cobriu apenas a aquisição de 7,9 milhões.

Sem data para dar início ao processo de imunização, ironicamente, Pazuello afirmou que o país está pronto para começar a vacinação e garantiu, ainda, que o Brasil tem 354 milhões de doses de vacina em estoque da Fiocruz, AstraZeneca e Instituto Butantan. O Brasil é o terceiro país no mundo com o maior número de casos, são 7.874, 539 pessoas infectadas pelo covbid-19 e outras 199.043 morreram por causa da doença até esta quinta (7).

 

Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *