CIDADANIA

Com ônibus superlotados e sem vacina, motoristas param 70% da frota em Natal 

Os motoristas de ônibus de Natal chegaram a parar onze garagens e o equivalente a 70% da frota, na manhã desta quarta (24), em protesto num pedido pela vacinação da categoria contra covid-19. A manifestação foi encerrada às 13 horas.

Os motoristas argumentam que pelo menos três profissionais morreram em decorrência da covid-19 desde março, sendo dois somente na semana passada. O movimento é nacional e a categoria pede vacinação imediata para todos os motoristas rodoviários do país.

De acordo com a direção do Sintro/ RN (Sindicato dos Trabalhadores e Transportadores Rodoviários do Rio Grande do Norte), a categoria se sente vulnerável porque os ônibus continuam circulando com superlotação em Natal, principalmente, nos horários de pico que vai das 06:00 às 08:00 e das 17:00 às 19:00.

A categoria também denuncia que, até agora, o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Natal (Seturn) não colocou 100% da frota para circular, conforme determinação do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte do dia oito de março de 2021. A decisão do desembargador Vivaldo Pinheiro atendia um recurso da Defensoria Pública e Ministério Público do Rio Grande do Norte.

No último dia 17 de março, os vereadores da Câmara Municipal de Natal aprovaram a isenção de 50% do ISS (Imposto Sobre Serviços) para as empresas do transporte público da capital até 31 de dezembro, desde que as empresas coloquem 100% da frota em circulação. O que não foi cumprido até o momento.

Desde setembro do ano passado a Câmara Municipal aprovou projeto de lei que concedia desconto de 50% no ISS, mas uma emenda do ex-vereador Fernando Lucena, estabelecia que o benefício ficava condicionado a dois pontos: não haver aumento na tarifa e a circulação de 100% da frota.

Arnaldo Dias, membro da direção do Sintro/RN

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *