CULTURA

Com tom político, 10ª edição do Goiamum Audiovisual homenageia diretor potiguar vítima da Covid-19

No ano em que o cinema potiguar chegou a Cannes, na França, o Goiamum Audiovisual retoma as atividades e realiza a 10ª edição do Festival em formato exclusivamente virtual. O evento começou nesta segunda-feira, 16, com a mostra de filmes, e segue até 20 de agosto com exibição de películas e diversas atividades.

“A grande mudança pra 2021 é justamente ter esse formato virtual, pois festivais são eventos que proporcionam muito encontros de realizadores, as atividades que são realizadas de formação, as palestras, as exibições… É um lugar que tem essa proposta de reunir pessoas que estão ali dialogando sobre o cinema e suas temáticas”, diz a diretora Keila Sena.

Ao mesmo tempo que o formato online pode trazer uma frieza ao evento, também possibilita que pessoas de diversas regiões tenham acesso à programação, que é totalmente gratuita, explica Sena.

Este ano, o festival faz homenagem a Geraldo Cavalcanti, diretor potiguar vítima da Covid-19.

“Cinema é Potiguar”

“Estamos vivendo um momento incrível no nosso cinema”, disse a diretora, lembrando o curta potiguar Sideral ter concorrido ao prêmio Palma de Ouro em Cannes, na França, um dos maiores eventos de cinema do mundo. De acordo com Sena, essa edição do Goiamum busca contar a história do audiovisual produzido localmente.

“Estamos com algumas mostras que trazem um grande panorama da última década, do que é produzido aqui, e que mostram o desenvolvimento e o amadurecimento da produção local. Estamos trazendo esse panorama e alguns debates que fazem essas reflexões do que éramos há um tempo atrás e como estamos hoje”, conta.

O maior destaque dessa edição é para o cinema local. Com o tema “Cinema É Potiguar”, o festival exibe quatro mostras que levam parte da história do cinema norte-riograndense para a internet.

A “Mostra Especial Curta Goiamum” traz obras premiadas de realizadores potiguares das seis edições da mostra competitiva Curta Goiamum, única competitiva do evento.

Em “Nós na Tela – Coração do Mundo”, o evento revisita a homenagem do Festival Goiamum a um de seus fundadores, o realizador audiovisual Geraldo Cavalcanti, falecido em março de 2021, vítima de complicações de Covid-19.

“Dilemas do Presente:  Um olhar sobre a pandemia”, única mostra competitiva com chamada pública, reflete sobre a crise sanitária mundial. Já “Panorama Potiguar” reúne filmes potiguares produzidos entre 2018 e 2021 de maior destaque.

Além das mostras, acontecem o Bate-papo Audiovisual Potiguar Ontem e Hoje e o Bate-papo Audiovisual Potiguar no Pós-pandemia.

 

Educação, política e cinema na América Latina

Nesta terça-feira, às 20h, ocorre, pelo Youtube, o bate-papo Cinema e território: um passeio pela América Andina e Patagônia, mediado pela jornalista e realizadora audiovisual independente Ariane Mondo.

Nos dias 18 e 19, às 15h, está programada a oficina Cinema em sala de aula: um olhar para a América Latina, movimentos sociais, processos e imagens. O espaço terá participação da gestora e produtora audiovisual chilena Caroline Pavez, que fez um recorte de histórias da América Latina Andina pouco conhecidas, atraindo alunos e professores de diversas disciplinas da educação básica para o uso do cinema na escola.

Durante todos os dias de evento, a mostra “Cinema é Política” aborda desde a Ditadura Militar no Brasil ao contexto político atual. E o bate-papo “Cinema contra o autoritarismo, marcado para o dia 18, às 20h, no Youtube, mostra a participação dos profissionais do cinema na resistência contra sistemas autoritários no país.

“É justamente fazendo esse traçado dessa linha do tempo e dos fatos que já ocorreram e de um certo retrocesso que a gente tá vivendo no ambiente político que ameaça à democracia, explica Keila. No âmbito da educação, o evento busca mostrar a utilização de filmes como ferramenta pedagógica, resume.

“A gente teve um prejuízo enorme no âmbito da educação, no período da pandemia. Os jovens tiveram os estudos interrompidos. O que a gente está querendo é proporcionar aos educadores tenham o cinema como uma ferramenta pedagógica e, a partir daí, de provocar reflexões, um olhar mais crítico”, finaliza.

 

Serviço

Evento: 10º Goiamum Audiovisual

Quando: de 16 a 20 de agosto

Disponível em: plataformas digitais Embaúba Play (www.embaubaplay.com), canal Youtube Goiamum Audiovisual (/festivalgoiamumaudiovisual) e SPCine (www.spcine.com.br)

 

Programação

PROGRAMA CINEMA É EDUCAÇÃO

MOSTRA

UM OLHAR PARA AMÉRICA LATINA E SUAS CULTURAS

De 16 a 20 de agosto | www.embaubaplay.com

Curadoria: Caroline Pavez (Chile)

 

CASIMIRA (Chile)

Carolina Fuentealba

Ficção | 2020 | 23 minutos

Classificação Indicativa: Livre

Trailer

Em uma pequena casa, no meio da imponente Patagônia, mora Casimira (80), uma velha de aparência amável que passa seus dias no meio das diferentes tarefas do campo. O seu quotidiano torna-se difícil, por isso deve pedir ajuda em algumas tarefas, mas apesar de tudo manterá a sua independência com convicção e começará com um último desafio.

 

HARLEY QUEEN (Chile)

Carolina Adriazola e José Luis Sepúlveda

Documentário | 2019 | 100 minutos

Classificação Indicativa: 16 anos

Trailer

Uma mulher anseia por encontrar sua identidade através de seu personagem: supervilão, dançarino e mãe, no setor de Bajos de Mena, ou o que eles chamam de “o maior gueto do Chile”, em Puente Alto, em Santiago.

 

EL CORRAL Y EL VIENTO (Bolívia)

Miguel Hilari

Documentário | 2014 | 55 minutos

Classificação Indicativa: Livre

Em outras épocas, os primeiros homens saíram das águas do Lago Titicaca. Mais tarde, meu avô foi preso em um curral por querer aprender a ler e escrever. Hoje meu tio mora sozinho, pois seus filhos foram para a cidade. As crianças aprendem espanhol sob os olhos de Pitágoras. Um retrato de Santiago de Okola, a cidade do meu pai.

 

OFICINA

CINEMA EM SALA DE AULA: UM OLHAR PARA AMÉRICA LATINA, MOVIMENTOS SOCIAIS, PROCESSOS E IMAGENS

Dias 18 e 19/08 | 15h | Google Meet

Ministrante: Caroline Pavez

 

BATE-PAPO

CINEMA E TERRITÓRIO: UM PASSEIO PELA AMÉRICA ANDINA E PATAGÔNIA

Dia 17/08 | 20h | Canal do Youtube

Título original:

CINEMA Y TERRITORIOS: UN RECORRIDO POR LATINOAMERICA ANDINA Y PATAGONIA

Mediação: Ariane Mondo

 

PROGRAMA CINEMA É POLÍTICA

MOSTRA: CINEMA DE CONTESTAÇÃO

De 16 a 20 de agosto | www.embaubaplay.com e www.spcine.com.br/

Curadoria: Thiago B. Mendonça

 

SERRAS DA DESORDEM

Andrea Tonacci

Documentário | 2006 | 135 min

Classificação Indicativa: 10 anos

Carapirú é um índio nômade que após escapar do massacre de seu grupo familiar em 1977 perambula sozinho pelas serras do Brasil central até ser capturado 10 anos depois a 2000 Km de distância de seu ponto de partida. Levado para Brasília pelo sertanista Sydney Possuelo torna-se manchete nacional e centro de polêmica criada por antropólogos e lingüistas quanto à sua origem e identidade.

Exclusivamente na plataforma https://www.spcineplay.com.br/

 

BLÁ BLÁ BLÁ

Andrea Tonacci

Ficção | 1968 | 26 min

Classificação Indicativa: Livre

O sentido do poder e da palavra em crise situam o homem (Paulo Gracindo) que os manipula numa idêntica crise pessoal e humana. A farsa do discurso de intenção humanista é total e absoluta. Um ditador num momento de grave crise nacional, confrontado na cidade e no campo por revoltas e guerrilha, na busca de uma paz ilusória, faz um longo pronunciamento pela televisão. Mas a realidade impõe-se à sua ficção e o controle da situação escapa-lhe das mãos. Sobra-lhe uma patética confissão antes de ser tirado do ar.

Exclusivamente na plataforma https://www.spcineplay.com.br/

 

EDNA

Eryk Rocha

Documentário | 2021 | 64 min

Classificação Indicativa: 12 anos

Vivendo à beira da rodovia Transbrasiliana, na Amazônia brasileira, Edna é testemunha de uma terra em ruínas construída sobre massacres. Criada apenas pela mãe, ela vivencia em seu corpo e em seus descendentes as marcas de uma guerra que, segundo ela, nunca acabou. Por meio de seus relatos e escritos, o filme constrói uma narrativa híbrida que se move entre a realidade e o imaginário. Tudo é tecido a partir da memória de Edna e seu diário intitulado “História da Minha Vida”. Uma vida de guerrilhas, desaparecimentos e desmatamentos, mas também a força das mulheres, rios e matas que insistem em sobreviver. Uma poeta transformada em olhos que apesar de verem não podem falar. Ela sonha sair dali para um lugar que não sabe aonde.

Excepcionalmente de 17 a 19 de agosto na www.embaubaplay.com

 

JOVENS INFELIZES OU UM HOMEM QUE GRITA NÃO É UM URSO QUE DANÇA

Thiago B. Mendonça

Comédia, Drama, Musical | 2016 | 127 min

Classificação Indicativa: 18 anos

Um grupo de artistas vive na fronteira entre arte e vida. Com teatro, música e performances em espaços públicos, eles tentam construir uma consciência revolucionária. Mas os horizontes rebaixados de uma sociedade cada vez mais autoritária os faz buscar um último grande ato estético. Feito com orçamento mínimo, o filme é uma metáfora da juventude contemporânea brasileira e seus horizontes políticos inspirado no ensaio de Pier Paolo Pasolini e pela poesia do revolucionário Aimé Cesaire.

 

PROCURA-SE IRENICE

Marco Escrivão e Thiago B. Mendonça

Documentário | 2016 | 25 min

Classificação Indicativa: Livre

O resgate de uma personagem silenciada. “Procura-se Irenice” é a busca por uma atleta esquecida. O encontro com uma história apagada pela ditadura.

 

A GUERRA DOS GIBIS

Thiago B.Mendonça e Rafael Terpins

Documentário, Animação | 2012 | 19 min

Classificação Indicativa: 12 anos

Nos anos 60 surge uma criativa produção de quadrinhos eróticos no Brasil. Mas a censura conspirava para seu fim. Satã, Chico de Ogum, Beto Sonhador, Maria Erótica e outros personagens unem-se aos quadrinistas nesta batalha contra a ditadura neste documentário onde a pior ficção é a realidade.

 

A CIDADE É UMA SÓ?

Adirley Queirós

Documentário, Ficção | 2011 | 79 min

Classificação Indicativa: 10 anos

Reflexão sobre os 50 anos de Brasília, tendo como foco a discussão sobre o processo permanente de exclusão territorial e social que uma parcela considerável da população do Distrito Federal e do Entorno sofre, e de como essas pessoas restabelecem a ordem social através do cotidiano. O ponto de partida dessa reflexão é a chamada Campanha de Erradicação de Invasões (CEI), que, em 1971, removeu os barracos que ocupavam os arredores da então jovem Brasília. Tendo a Ceilândia como referência histórica, os personagens do filme vivem e presenciam as mudanças da cidade.

 

ERA UMA VEZ BRASÍLIA

Adirley Queirós

Ficção, Sci-Fi | 2017 | 100 min

Classificação Indicativa: 14 anos

Em 1959, o agente intergaláctico WA4 é preso por fazer um loteamento ilegal e é lançado no espaço. Recebe uma missão: vir para a Terra e matar o presidente da República, Juscelino Kubitschek, no dia da inauguração de Brasília. Sua nave perde-se no tempo e aterrissa em 2016 em Ceilândia, cidade satélite de Brasília, DF. Essa é a versão contada por Marquim do Tropa, ator e abduzido. Só Andréia, a rainha do pós-guerra, poderá ajudá-los a montar o exército para matar os monstros que habitam hoje o Congresso Nacional.

Excepcionalmente de 17 a 18 de agosto na www.embaubaplay.com

 

BATE-PAPO

CINEMA CONTRA O AUTORITARISMO – ONTEM E HOJE

Dia 18/08 | 20h | Canal do Youtube

Apresentação e mediação: Thiago B. Mendonça

Nos últimos anos a ditadura voltou a ser discutida no espaço público brasileiro, seja por uma tentativa de revisionismo em relação aos crimes cometidos por seus órgãos de repressão, seja através de ameaças explícitas à democracia organizadas por grupos herdeiros das experiências autoritárias de outrora. Desde os anos 1960 o cinema brasileiro buscou tematizar o autoritarismo no país, de modo a criar um caminho reflexivo de fôlego, a partir de obras de diretores como Glauber Rocha, Andrea Tonacci, Helena Solberg, Luiz Rosemberg, Paulo César Saraceni, Ana Carolina, Eduardo Coutinho, Carlos Reichenbach, Adirley Queirós, Flavia Castro, Eryk Rocha, Dácia Ibiapina, entre outros. Do presente ao passado, esse cinema criou formas originais de reflexão sobre momentos de agitação e participou ativamente, enquanto movimento estético de inspiração política, da contestação de períodos autoritários. A mesa de debate junta quatro realizadores contemporâneos que possuem produções direta ou indiretamente ligadas com o cinema de contestação realizado nos anos 1960 e 1970, pensando o lugar do cinema na reflexão do passado e do presente.

Convidados: Adirley Queirós, Cristina Amaral e Eryk Rocha

 

PROGRAM CINEMA É POTIGUAR

HOMENAGEM A GERALDO CAVALCANTI

BATE-PAPO

NÓS NA TELA (CORAÇÃO NO MUNDO)

Dia 16/08 | 20h | Canal do Youtube

Com: Guaraci Gabriel, Silbene Sil, Michelle Maciel, Nilson Eloy e Buca Dantas

MOSTRA ESPECIAL NÓS NA TELA (CORAÇÃO NO MUNDO)

De 16 a 20 de agosto | www.embaubaplay.com

 

A CASA DO DOIDO ALEXANDRE

Geraldo Cavalcanti

Ficção | 2017 | 16 min

Classificação Indicativa: Livre

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=NHOArEmDQc0

Os adultos constroem a imagem preconceituosa de um louco monstruoso chamado Alexandre no imaginário das crianças. Elas se surpreendem ao descobrirem a verdadeira identidade do Doido Alexandre.

 

AS ALMAS SANTAS DA BARRAGEM

Geraldo Cavalcanti

Documentário | 2017 | 23 min

Classificação Indicativa: Livre

Documentário sobre o campo de concentração de Senador Pompeu/CE criado na década de 30 para confinar as pessoas que fugiam da seca que assolava o sertão nordestino.

 

VIVA O CINEMA BRASILEIRO!

Buca Dantas

Ficção | 2008 | 26 min

Classificação Indicativa: Livre

Uma equipe percorre o sertão nordestino em busca do destino de Luiza, personagem criada por pessoas que nunca entraram numa sala de cinema e que estão fazendo um filme brasileiro. O Cinema Processo.

 

MOSTRA ESPECIAL CURTA GOIAMUM

De 16 a 20 de agosto | www.embaubaplay.com

OPERAÇÃO PLÁSTICA COM FLÁVIO FREITAS

Carito Cavalcanti e Joca Soares

Documentário | 2011 | 12 min

Classificação Indicativa: Livre

Documentário sobre a aventura solitária e bela do artista plástico Flávio Freitas no seu cotidiano de trabalho. O artista em seu ateliê. O artista na intimidade. O trabalho do artista. O pensamento do artista: o processo criativo, o desenho de observação, a disciplina diária, criar e vender, a história do ateliê na Ribeira, a espiritualidade.

 

NOTURNOS

Carito Cavalcanti e Joca Soares

Video-poema, experimental | 2012 | 4 min

Classificação Indicativa: Livre

A câmera representa a poesia de Nina Rizzi que faz um passeio pela noite da cidade de Natal, se reconhecendo na força e dramaticidade das mulheres do filme.

 

SUSTENTO FERRO

Humberto Luiz

Experimental | 2013 | 4 min

Classificação Indicativa: Livre

Em um espaço onde os personagens são principalmente pregos e parafusos, o sistema exerce seu poder. A força da natureza representada, expressa o aleatório, o fatal. Realidade onde não há possibilidade de fuga

 

ABRAÇO DE MARÉ

Victor Ciriaco

Documentário | 2013 | 16 min

Classificação Indicativa: Livre

O dia a dia de quem mora em um centro urbano é sempre atribulado. Porém, bem no meio disso tudo, cinco pessoas vivem na mais pura sintonia entre a natureza e a cidade. Do asfalto ao mangue, o curta-metragem documental “Abraço de maré” traz para a tela a história de vida de uma família ribeirinha, que mora em uma casa de taipa às margens do rio Potengi. Esse filme nos leva a refletir sobre essa dualidade e sobre o quanto a realidade que nos parece ser tão distinta nos é, na verdade, tão próxima.

 

SAILOR

Victor Ciriaco

Ficção | 2014 | 13 min

Classificação Indicativa: 16 anos

Trailer

Você pode sentir o sal permear sua pele? Pedro está diante de uma relação nunca vivenciada. Johnny veio de longe e segue o ciclo de sua vida. Partir, ficar, voltar. SAILOR narra um encontro inesperado, inspirado na canção “Surabaya Johnny” de Bertolt Brecht e Kurt Weill.

 

SÊO INÁCIO (OU O CINEMA DO IMAGINÁRIO)

Helio Ronyvon

Documentário | 2014 | 13 min

Classificação Indicativa: Livre

O que é memória para alguém que já viveu e já viu muitas vidas nas telas? Sêo Inácio (ou o cinema do imaginário) conta um pouco da vida do cinéfilo Inácio Magalhães de Sena, que já assistiu a mais de 20 mil filmes e alia sua sabedoria a uma vivacidade intensa.

 

O MENINO DO DENTE DE OURO

Rodrigo Sena

Ficção | 2015 | 15 min

Classificação Indicativa: Livre

O curta-metragem conta a história de Wesley, 12 anos, que na ida para o colégio acaba se envolvendo em uma trama perigosa e lucrativa.

 

JOSÉ BEZERRA

Pedro Medeiros

Documentário | 2015 | 12 min

Classificação Indicativa: Livre

Trailer

Um mergulho no profundo sertão potiguar no encalço do fotógrafo etnográfico em busca do humano oculto na mata.

 

O SOM DO MORRO

Diana Coelho e Hélio Ronyvon

Documentário | 2016 | 12 min

Classificação Indicativa: Livre

Trailer

Em Mãe Luiza, periferia da cidade do Natal, os sons do cotidiano se misturam às batidas do funk, nos levando a imergir em um universo de sonhos, reconhecimento e preconceito vivenciados pela juventude local. Som do morro acompanha a preparação de um baile na comunidade e nos apresenta Kevinho e Gil Bala, dois amigos que tiveram suas vidas cruzadas ao compartilharem o sonho de serem MCs, além de nos mostrar o funk como ferramenta de expressão desses jovens.

 

VIDA VAZA

Carito Cavalcanti

Documentário, Experimental | 2016 | 11 min

Classificação Indicativa: Livre

Documentário experimental sobre as angústias e inquietudes da vida – o existencialismo, a condição da mulher, as possibilidades da arte como instrumento de rebeldia. O filme reúne artistas da cidade de Natal que refletem as dores da sociedade contemporânea, e tem a participação especial da historiadora Leilane Assunção. E por entre as dores a vida vaza: vaza indo embora e paradoxalmente vaza pingos de esperança e resistência, em um caleidoscópio de emoções. Esperança e niilismo se confundem nas metáforas de VIDA VAZA. Um manifesto poético-musical-imagético, a favor da diversidade e contra a intolerância, em busca da delicadeza perdida.

 

A CASA DO DOIDO ALEXANDRE

Geraldo Cavalcanti

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo