+ Notícias

Comitê científico do Consórcio Nordeste alerta para risco de segunda onda do Coronavírus na região

Decorrente de um “acomodamento” nas medidas de prevenção à contaminação por Covid-19, o boletim lançado no último dia 22 pelo Comitê Científico alerta para o risco de uma segunda onda de contaminação em estados da região e recomenda cuidados no recebimento de visitantes de países Europeus, onde os casos já voltam a subir.

Por ser ponto de atração turística internacional neste período do ano, o documento indica um risco real da entrada de cepas diferentes do Sar-cov-2 nos estados e recomenda medidas de prevenção para evitar uma nova onda. São elas: cuidados sanitários nos aeroportos, com aferição de temperatura dos recém-chegados e testagem rápida de pacientes vindos do exterior; e obrigatoriedade de quarentena de 14 dias aos turistas sem atestado de ausência de infecção pelo vírus.

O fator eleições

O informativo ainda alerta que um dos fatores que mais contribuem para o aumento dos casos são os atos de campanha eleitoral. Nestes eventos, há aglomeração de pessoas e, muitas vezes, até ausência ou uso incorreto de máscaras pelos participantes. Assim, citando estudo recém-publicado na revista Science, que indica que o vírus pode permanecer no ar por horas, o boletim chama a atenção para o riso de uma segunda onda pandêmica no período pós-eleição.

Situação nos estados

Rio Grande do Norte e Alagoas são os únicos dois estados do Nordeste que tendem para a diminuição de casos e estabilização no número de óbitos, informa o boletim. No entanto, o informativo ainda alerta que a taxa de isolamento social no estado potiguar foi baixa e as atividades sociais e de trabalho já foram retomadas, mesmo quando há ainda há uma considerável incidência de casos. A preocupação aqui se mantém já que mesmo com a redução do número de óbitos, estes ainda são registrados de forma constante. Além disso, a previsão técnica de que seriam registradas aproximadamente 2.440 mortes no estado se cumpriu. Assim, o indicativo é que, mantendo-se as medidas como estão hoje, a pandemia persista afetando os norte-rio-grandenses até maio de 2021.

Bahia, Ceará, Paraíba, Piauí e Sergipe ainda tem alto risco epidêmico. No entanto, Bahia apresenta tendência de queda no número de mortes pela Covid-19. Enquanto, no mesmo aspecto, os outros quatro estados tendem para a estabilização.

Maranhão tem risco pandêmico moderado-alto, com tendência de estabilização de óbitos. Já Pernambuco, mesmo também se classificando com risco epidêmico moderado-alto, tende para a redução no número de mortes provocadas pela doença.

Confira o boletim completo aqui.

 

 

Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *