OPINIÃO

Cooperativismo financeiro como sua principal parceira

Anúncios

O cooperativo financeiro vem ganhando cada vez mais credibilidade no seio da sociedade brasileira, conforme demonstramos nos textos anteriores que publicamos nesta coluna Gente Que Coopera, em parceria com o QBB Advocacia e o Portal nominuto.com, Agência saibamais.jor e o Jornal AgoraRN. Este grande momento de oportunidade só pode ser desfrutado devido as conquistas em segurança jurídica dos últimos anos.

O cooperativismo financeiro representa não só uma oportunidade direta aos seus associados, mas sim pode ser visto como um modelo socioeconômico fundamentado na participação democrática, na independência, na solidariedade e na autonomia destes que se unem voluntariamente em prol do objetivo social e econômico comum. Portanto, diferente das instituições financeiras tradicionais, a meta primeira e última é atender às necessidades do indivíduo cooperado, do grupo, da comunidade, e garantir o bem-estar de cada integrante. É um pensamento que subverte toda lógica que as pessoas estão acostumadas.

Soma-se a esta lógica os resultados práticos na comunidade, posto que os lucros que seriam revertidos para as matrizes financeiras fora da localidade, inclusive para outros países, pela lógica intrínseca do cooperativismo, tornam os recursos circulantes e compartilhados entre os cooperados, na comunidade, através do que chamamos sobras, os resultados positivos.

Portanto, sendo bem mais positivo o uso da instituição cooperativa financeira para a economia local, sendo uma alternativa interessante tanto para o empresariado quanto para as pessoas físicas, isso devido a responsabilidade com as necessidades dos cooperados, a busca das melhores alternativas financeiras e a sensibilidade com os custos operacionais e o caráter mesmo de parceria que rege nosso modelo.

O movimento cooperativo já teve altos e baixos, contudo, como temos demostrado nestes textos, após marcos legais importantes, no ganho de segurança jurídica importante, as instituições financeiras cooperadas vive há anos um crescimento perene e forte. A luta agora é para levar estas informações para que as pessoas conheçam, acessem e tornem as cooperativas financeiras a sua principal parceira no setor financeira. Pois gente que coopera, cresce.

Manoel Santa Rosa – Diretor Presidente da Sicredi CredSuper

Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *