OPINIÃO

Cordel sobre a minha participação no grupo de Gestão Autônoma de Medicação (GAM)

Por Adebal Ferreira*

 

Eu sou um poeta cantador

E o meu verso é fecundo

Contador de coisas em versos

Sou primeiro sem segundo

Para mostrar que eu sou

Recitar nesta hora eu vou

Sobre um problema profundo

 

Sou o advogado e poeta

Brincante e um cantador

Da irmandade dos galegos

Feios eu sou seu fundador

E agora neste momento

Vou contar meu tratamento

No grupo de GAM inovador

 

Amigos eu vou contar

A minha atual situação

As doenças que eu sofro

E sobre toda medicação

Que eu tomava todo dia

Pois o médico prescrevia

E não tinha ama solução

 

Às seis da manhã eu tomava

Um Losartana para a pressão

Um Glicamin para o diabetes

Escitalopram para depressão

Omezaprol contra a acidez

Carbolítio pela primeira vez

Para o humor sem alteração

 

À tarde logo após o almoço

Um Andilopino para pressão

Um Carbolítio mais uma vez

Para o humor sem alteração

Um glicamim e um Tiamina

Mais Ácido fólico era a sina

Para mim muita medicação

 

Às 18 h outro Losartana

Mais um outro Glicamim

2 diazepans para eu dormir

Mais outro Carbolítio enfim

Olanzapina de 5 e de 10

Os verdadeiros coquetéis

Que receitavam para mim

 

Sou um alcoólatra e portador

De dois transtornos mentais

Bipolaridade e esquizofrenia

Três doenças muito infernais

Eram dezessete comprimidos

Todo dia por mim ingeridos

Uma dosagem alta de demais

 

Era remédio para o diabetes

E para controlar minha pressão

E para os episódios de delírios

Como também para alucinação

Quanto mais remédio tomava

Mais era que eu me aperreava

E aumentava minha depressão

 

A Olanzapina que eu tomava

Era para delírio e alucinação

Mesmo assim eu via bichos

Partindo em minha direção

Continuava o meu martírio

Sofrendo um grande delírio

De uma constante perseguição

 

Dois diazepans eu tomava

E dormir eu não conseguia

Acordava vez em quando

Era grande minha agonia

Hoje no chá de manjericão

Encontrei uma boa solução

Eu durmo até o raiar do dia

 

Foi então que me convidaram

No CAPS para uma participação

Num grupo da universidade

Dos cursos de pós-graduação

E toda terça-feira pela manhã

Eu participo do grupo de GAM

Gestão Autônoma de Medicação

 

Foi então que eu descobri

Que há trinta anos existia

No Canadá uma experiência

Onde a medicina lá discutia

Que em qualquer medicação

O paciente na sua gestão

Terá uma certa autonomia

 

Foi então que eu decidi

Procurar uma nova opção

Buscar novo tratamento

Com menos medicação

Fazer um maior sacrifício

Praticando mais exercícios

Melhorando a alimentação

 

Descobri que folhas verdes

Consumidas regularmente

Para a pressão e o diabetes

Elas controlam eficazmente

E que sem bebida e sem sal

A nossa pressão arterial

É controlada naturalmente

 

E que reduzindo o açúcar

Doces, bolos, refrigerante

Nossos níveis de glicemia

Caem de forma impactante

Para os transtornos mentais

A terapia é bem mais eficaz

Que medicação intoxicante

 

A indústria farmacêutica

Investe os bilhões de reais

Criando os medicamentos

Com seus fins comerciais

Sem ligar para o lado ético

Controla no campo médico

Nossos transtornos mentais

 

Hoje há um certo tempo

Com bem menos medicação

A glicemia está controlada

Doze por oito é a pressão

Convivo com meus delírios

E assim os meus martírios

Estão em níveis de aceitação

 

Hoje só quatro comprimidos

Sendo só um pela manhã

Um Carbolítio de trezentos

À noite outro Escitalopram

Mais 2 Carbolítios de 300

Eu reduzi os medicamentos

Graças ao Grupo de GAM

 

Descobri que toda doença

Sendo melhor entendida

Você participando também

Na receita que for definida

Dá para com ela conviver

E até o dia de você morrer

Terá mais qualidade de vida

 

Agradeço por ter me apresentado

Neste Evento aqui em Natal

Na nossa querida Universidade

No campo da saúde mental

E dizer ser nenhum aperreio

Que este doido galego feio

É um doido-poeta bem legal

 

F I M

 

Adebal Ferreira é advogado, poeta e membro do coletivo Plural, formado por pacientes de saúde mental

 

Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *