DEMOCRACIA

Covid-19: cresce 300% número de pacientes intubados no RN; Sesap garante estoque de medicamentos

O Rio Grande do Norte teve na quinta-feira (15) 150 pacientes intubados em UTIs da rede estadual e 58 pacientes na rede municipal de Natal. A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap-RN) calcula que os 208 representam aumento de 300% em dois meses. Apesar da alta, o estado mantém controle de medicamentos necessários para a terapia intensiva.

Não estão nesses dados, os pacientes que estão internados em Unidades de Pronto Atendimento fazendo uso de medicação para intubação.

A Unidade Central de Agentes Terapêuticos (Unicat) considera que cada paciente intubado necessita em leito por dia, uma média 28 ampolas de sedativo, 8 ampolas de bloquedor neuromuscular. Dependendo da gravidade do paciente, a quantidade pode ser menor ou o tratamento poderá utilizar também anestésicos e drogas vasoativas.

Com os dados dos pacientes intubados nos serviços Sesap e SMS, 208 pacientes fazem uso por dia de 5.824 ampolas de sedativos e 1.664 ampolas de bloqueador neuromuscular.

De acordo com a Sesap, o estoque do kit de intubação atual atende pelo menos 30 dias, mantida a demanda de consumo atual. O acompanhamento dessa reserva é feita diariamente, já havendo aberto processo de reposição de estoque, alguns com empenho já emitido, e outros em finalização de aquisição.

A Unicat informa semanalmente ao Ministério da Saúde a quantidade em estoque e a necessidade.

Uma reportagem veiculada na edição de quinta-feira (15) do Jornal Nacional, na rede Globo, mostrou que 11 estados estão com risco de falta dos medicamentos para intubação: Bahia, Maranhão, Tocantins, Amapá, Roraima, Acre, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul.

Eles admitiram a falta de medicamentos ou estoques baixos para no máximo 15 dias.

Intervenção do Governo Federal

Em março deste ano, o governo federal requisitou à indústria que vendesse ao Ministério da Saúde a produção excedente dos medicamentos usados para intubação. De acordo com a requisição administrativa, os contratos com estados e municípios continuariam valendo, mas com a alta demanda os laboratórios passaram a trabalhar para atender as demandas do MS.

O presidente executivo do Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos (Sindusfarma), Nelson Mussolini, concedeu entrevista ao JN e culpou o Ministério da Saúde pelos problemas na distribuição. “Essas requisições de forma geral sempre atrapalham a logística da indústria”, declarou, comunicando que reuniões foram realizadas para tentar adequar essa entrega.

A Sesap informou que a aquisição desses medicamentos é feita regularmente por estados e municípios, mas que diante da demanda atípica, o Ministério da Saúde sido acionado pelos entes federativos. De acordo com a Secretaria, o envio desses medicamentos é dado de forma irregular e não atende à necessidade de nenhum estado.

Doação

Um grupo de empresas fez doações do kit ao governo federal. Um carregamento de medicamentos vindo da China chegou ao aeroporto em Guarulhos (SP) no final da noite da quinta-feira (15) e será repassado aos estados.

Segundo o Ministério da Saúde, foram comprados 2,3 milhões de medicamentos de intubação orotraqueal, e a previsão é de que a distribuição comece nesta sexta (16).

 

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Isabela Santos
Isabela Santos é jornalista e repórter da agência Saiba Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *