CIDADANIA

Covid-19: Governo amplia rede para 408 UTIs, reduz fila de espera, mas situação ainda é crítica

No feriado de Tiradentes na quarta-feira (21), a secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) disponibilizou mais dez leitos de UTI no Hospital João Machado, em Natal, além de três leitos de UTI no Hospital Regional em João Câmara, chegando assim, de acordo com o Regula RN, a 409 UTIs covid.

Desde fevereiro, pelo menos 200 leitos críticos e clínicos foram abertos no Rio Grande do Norte. O Estado soma hoje 875 leitos exclusivos para tratamento de covid-19, dos quais 673 estão ocupados. A força-tarefa tem reduzido a fila de pessoas que aguardam vaga para internação, mas as solicitações se mantêm altas, com grande número de infecções e agravamentos da doença.

A média móvel de solicitações diárias de leitos para covid era de 115 na quarta. Na terça-feira (20), 133 doentes precisaram ser internados. Mais de 16 mil pessoas já foram internadas por causa da doença desde o início da pandemia. São 214.488 casos confirmados e 5.185 óbitos confirmados, além de 1.036 suspeitos.

Às 10h10 desta quinta-feira (22), o Regula RN registrava 26 pacientes aguardando leitos críticos e 33 estavam disponíveis, além de 88 clínicos vagos. No mesmo momento, a taxa de ocupação dos leitos críticos era de 91,4%, com a região Metropolitana em 90,9%; Oeste, 100%; e Seridó, 70%.

A Sesap ressalta que para zerar a fila é necessário o transporte dos pacientes e ainda que o perfil dos leitos disponíveis seja compatível com o perfil dos pacientes. Para os próximos dias, a Sesap planeja disponibilizar mais 33 leitos de UTI covid em diversas regiões do estado.

Constatação

De acordo com o indicador composto, avaliação periódica feita pela Secretaria de Saúde em parceria com a Universidade Federal do RN (UFRN), a situação da pandemia do coronavírus no RN permanece em alerta para 81,9% da população.

Segundo o documento consolidado na terça-feira (20), a situação mais crítica continua sendo na Região Metropolitana de Natal. O indicador dá notas de 1 a 5, a partir da análise de nove variáveis (óbitos, internações, testes, casos ativos, entre outros), sendo 1 a melhor situação, com sinal verde, e 5 a pior, com sinal vermelho. Assim, toda a população do estado está em sinal amarelo, entre 3 (97,9%) e 4 (2,1%).

Logo na sequência, também estão com sinal amarelo em grande parte da população as regiões do Vale do Açu (92,7%) e de Mossoró (91,7%). Com o sinal chegando em quase metade dos moradores da área, estão o Potengi-Trairi (49,6%), Alto Oeste (46,6%) e Mato Grande (46,3%).

Tomando a avaliação geral dos indicadores, a média do Rio Grande do Norte está no sinal amarelo da nota 3, ainda com nota 5 na taxa de casos ativos.

O indicador composto é uma construção coletiva entre a equipe da Sesap, o Comitê de Especialistas e a UFRN, sob a coordenação do professor Kênio Lima. O estudo reúne nove variáveis e permite o mapeamento da evolução semanal de casos por município e assim ter um monitoramento da pandemia em todo o estado. Os dados servem de subsídio para a tomada de decisões na gestão da pandemia.

População ignorou toque de recolher no feriado

Natalense foi à praia mesmo com toque de recolher integral no Estado / foto: divulgação

As medidas adotadas para conter o avanço da doença que estão em vigor incluem o toque de recolher das 20h às 6h e integral aos domingos e feriados. No feriado desta semana, centenas de pessoas ignoraram a lei e foram às praias de Natal, descumprindo os decretos Estadual 30.490/2021 e Municipal 12.179/2021.

Equipe de fiscalização composta por agentes das secretarias de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), Serviços Urbanos (Semsur), Guarda Municipal com equipes dos grupamentos da Gaam, Rope e Romu, e apoio da Policia Militar com o grupamento de cavalaria, atuaram principalmente em aglomerações nas praias de Ponta Negra e do Meio, onde lavraram 14 intimações, sete autos de constatação e sete conjuntos de mesas e cadeiras foram apreendidos.

Os decretos expiram nesta sexta-feira (23) e as autoridades devem anunciar para o sábado (24) novas medidas.

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Isabela Santos
Isabela Santos é jornalista e repórter da agência Saiba Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *