TRANSPARÊNCIA

Covid-19: Pesquisadores da UFRN admitem “situação crítica” mas defendem reabertura em etapas do comércio e das escolas públicas no RN

Um grupo de 10 pesquisadores do Laboratório de Inovação Tecnológica da UFRN concluiu neste sábado (17) um novo relatório com análise sobre os índices epidemiológicos da pandemia no Rio Grande do Norte e elaborou uma lista com sete recomendações ao Governo e aos municípios do Estado.

Entre as sugestões está a criação de um plano de retomada das atividades econômicas dividido por etapas, tendo em vista condições epidemiológicas adequadas. Os pesquisadores também recomendam o retorno das aulas nas escolas públicas de forma híbrida e por fases. Não há menção, no relatório, sobre vacinação para estudantes, professores e funcionários das escolas.

– As crianças e os adolescentes mais pobres do estado tiveram seus direitos constitucionais e suas garantias legais maculados pela falta das atividades escolares presenciais, ampliando a desigualdade social no RN em especial nos grupos mais vulneráveis. É urgente e fundamental que o Poder Público no RN implementem é todos educacionais que garantam estratégias de permanência com busca ativa de alunos e o retorno de todos às escolas”, diz um trecho do relatório.

Até às 8h35 deste domingo (18), a taxa geral de ocupação dos leitos críticos era de 94,5% e 22 dos 25 hospitais públicos do Estado estavam com 100% dos leitos ocupados. Na fila por uma UTI haviam 44 pacientes, sendo que 21 vagas estavam disponíveis.

Apesar da flexibilização das medidas, os pesquisadores admitem que “o RN ainda se encontra em situação crítica” e citam a fila de leitos por UTI no Estado:

– Ressalte-se que há uma lista de pacientes à espera de leitos críticos maior que o número de leitos disponíveis; e, também, porque os pedidos por internações em leitos covid-19 são superiores aos do mês de outubro de 2020, quando se registrava uma média de 25 pedidos por dia”, escrevem os pesquisadores.

Na sexta-feira (16), a governadora do Rio Grande do Norte Fátima Bezerra estendeu por mais 8 dias o decreto estadual que estabelece normas para estimular o isolamento social no Estado, a exemplo do toque de recolher de 20h às 6h, de segunda a sábado; e o toque de recolher integral aos domingos.

Há 15 dias, o Ministério Público Estadual acionou a Justiça para que as escolas públicas voltem a receber estudantes em aulas presenciais, mas o Governo garantiu que só reabririam as escolas com o aval do comitê científico estadual, órgão consultivo que norteia as decisões tomadas pelo Estado.

O relatório elaborado pelos pesquisadores do LAIS/UFRN sugere ainda que para o retorno das aulas em formato híbrido – presencial e à distância – sejam observados os “dados e a análise constante do risco e do benefício de abrir-se às escolas”.

– É essencial que a sociedade, as empresas, os poderes constituídos e, em especial, os órgãos de fiscalização e de controle cobrem do Ministério da Educação , da Secretaria de Educação do Estado e das Secretarias de Educação dos Municípios a previsão orçamentária adequada e o aporte dos recursos financeiros suficientes para que exista mas condições necessárias para oferta do ensino seguro nas escolas públicas, de modo que formatos alternativos de ensino possam ser desenvolvidos e implementados”, apontam os pesquisadores.

Transmissão do vírus aumentou após feriado da páscoa

O relatório da LAIS/UFRN mostra que houve uma redução de 30% dos casos registrados por dia entre o segundo pico da epidemia, notificado em 5 de março e o início do feriado da Páscoa em 1º de abril, quando as medidas mais restritivas de isolamento ainda estavam em vigor.

No entanto, comparando 1º de abril com o dia 6 do mesmo mês é possível ver um novo crescimento de 19% de casos registrados, o que coincide com o aumento da taxa de transmissibilidade do vírus nesse período, acima de 1 R(t).

Os pesquisadores também mostram que o conjunto de medidas restritivas adotadas pelo decreto estadual reduziu em 60% a fila de pacientes à espera de uma UTI num intervalo de 21 dias. E preveem uma queda no número de óbvios registrados por covid-19 nos próximos dias:

– Ainda, considerando o aumento observado na taxa R(t) imediatamente no período após a Páscoa, é possível afirmar que, apesar do crescimento da transmissibilidade do Sars-CoV-2, não se verificou o aumento da fila de espera de pacientes por leitos clínicos ou críticos, que permaneceu estável, o que, também, poderá apontar para tendência de queda do número diário de óbitos registrados em decorrência da covid-19 ao longo dos próximos dias”, diz o relatório.

 

 

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *