TRANSPARÊNCIA

Cresce exponencialmente número de internações por covid-19 no Rio Grande do Norte

A soma das internações em leitos públicos e privados no Rio Grande do Norte é preocupante e começa a mostrar crescimento exponencial. Os dados foram descritos em gráfico publicado pelo médico epidemiologista Ion Andrade em artigo para a Agência Saiba Mais nesta sexta-feira (27).

A curva de crescimento é acentuada ao cruzar informações entre os boletins epidemiológicos 157 (4 de setembro) e 227 (25 de novembro) da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap/RN). “Identificamos o que poderia ser o primeiro movimento de um crescimento exponencial de hospitalizações”, mostra o especialista, que é pesquisador do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS/UFRN).

Ion Andrade aponta ainda que os leitos privados estão passando por crescimento acentuado de novos internamentos e que, por outro lado, “mostrando uma incrível resiliência, os internamentos em leitos públicos vêm se mostrando estáveis”. Apesar disso, com a soma de ambos ainda predomina a alta.

A esse cenário, ele acrescenta a segunda onda de covid na Europa em meio à normalização do fluxo de passageiros e à retomada dos voos internacionais e o cenário de crescimento dos internamentos, casos e óbitos no Brasil como um todo. De acordo com Andrade, isso aponta para uma generalização da tendência de alta.

De acordo com o boletim da quinta-feira (26) eram 253 leitos ocupados, número ainda distante do pico de 600 atingido em junho, mas, na opinião do pesquisador, é momento de se preocupar.

“As pessoas desistiram de se proteger contra a covid e hoje, o uso de máscara, para dar um exemplo, em lugar de ser uma regra, se tornou uma exceção. Muitos bares andam lotados de clientes sem máscara, como se essa doença letal tivesse ficado para trás”, escreve no artigo, lembrando também que eventos públicos estão liberados e incluindo shows realizados com grande público.

Além disso, o número de mortes durante o período de retomada superou os óbitos que aconteceram enquanto a população estava em isolamento social. Números apresentados pelo médico, mostra que foram 1.034 óbitos por covid-19 até 30 de junho passado e já são hoje 2.666. “Isso significa que morreram no período da dita retomada 1.632 norte-rio-grandenses. Desses mortos, cerca de 1.225 foram idosos”.

Ion Andrade diz que o que mais preocupa é o fato de que o governo ainda não tenha os elementos definitivos para uma tomada de decisão quanto ao endurecimento das medidas de prevenção.

“A conjunção entre um poder público em dificuldades para agir duramente em virtude de uma indiscutível ambiguidade dos dados epidemiológicos e uma sociedade embriagada por uma falsa liberdade que põe em risco a saúde de todos convergem para produzir ativamente a piora do cenário da Covid-19 em nosso estado”, conclui.

Nesta sexta-feira (27), já são 92.647 casos confirmados no Rio Grande do Norte, com 127 municípios com taxa de transmissão da doença maior que 1,03, o que significa que estão nas zonas de “risco” ou “perigo”. Em todo o Brasil, já são 6.204.220 infecções registradas e 171.460 de mortes.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Isabela Santos
Isabela Santos é jornalista e repórter da agência Saiba Mais