CIDADANIA

Desembargador alega que pessoas devem trabalhar no Dia do Trabalhador e suspende toque de recolher no feriado em Natal

O desembargador Cláudio Santos acatou o pedido da Prefeitura de Natal e suspendeu o toque de recolher no feriado deste sábado, 1º de maio, autorizando o funcionamento das atividades não essenciais em geral.  O governo estadual, autor do decreto que institui o isolamento rígido aos domingos e feriados, pode apresentar recurso.

Entre as justificativas, o magistrado alega que seria “contrassenso impedir o trabalhador de trabalhar no Dia do Trabalho”, considerando que muitos perderam empregos e negócios foram fechados durante a pandemia.

Movimentos sociais e sindicatos reconhecem a data como Dia do Trabalhador e da Trabalhadora, um dia de luta e de valorização da memória de resistência coletiva, inclusive para a manutenção de direitos conquistados.

Segundo a decisão, também foi considerada a melhoria do quadro de infecções e suposta diminuição dos atendimentos e internamentos pela covid-19, na cidade de Natal e em todo o Rio Grande do Norte. O texto ressalta que a liberação não implica em desconfinamento geral e que devem ser mantidas todas as normas sanitárias e de distanciamento em vigor, bem como os cuidados pessoais necessários.

A taxa de ocupação de leitos críticos se mantém alta no Rio Grande do Norte. Às 12h desta sexta-feira (30), era de 95,1% considerando os hospitais públicos de todo o estado. Na região Metropolitana era 93,9%; na Oeste, 100%; e no Seridó, 90%.

No mesmo horário, vinte hospitais não tinham vagas de UTI. A fila de espera para esse tipo de tratamento estava com 30 pessoas. A média móvel de solicitações diárias para leitos covid foi de 107 na quinta-feira.

Abril já é o mês mais letal da pandemia no estado, com registro de 939 óbitos antes mesmo de se encerrar.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Isabela Santos
Isabela Santos é jornalista e repórter da agência Saiba Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *