DEMOCRACIA

Dia do Estudante: PM agride alunos do IFRN durante protesto pacífico contra interventor

Policiais militares agrediram estudantes e servidores do IFRN nesta terça-feira (11) durante um protesto pacífico contra a intervenção na instituição que já dura mais de três meses. Quatro viaturas da Polícia Militar e uma unidade da Polícia Federal foram acionadas pelo interventor Josué de Oliveira.

Além de spray de pimenta, alunos foram agredidos fisicamente. Um estudante identificado como Silas teve os óculos quebrados e mostrou marcas de arranhões nos braços provocadas por um policial. Telefones celulares também foram confiscados.

A PM deu ordens para ninguém entrar nem sair da reitoria.

A comunidade do IFRN não aceita a gestão do reitor pro-tempore Josué de Oliveira, nomeado pelo ex-ministro da Educação Abrahm Weintraub em 20 de abril à revelia do processo eleitoral que escolheu em dezembro do ano passado o professor de Educação Física José Arnóbio de Araújo como reitor.

Polícia Militar foi acionada pelo interventor Josué de Oliveira (foto: cedida)

Até o fechamento desta reportagem, um grupo de professores e de estudantes se dirigia até a delegacia para registrar o Boletim de Ocorrência em razão das agressões. O Sinasefe colocou a assessoria jurídica à disposição para auxiliar na defesa.

Em entrevista à agência Saiba Mais, o presidente da rede de grêmios do IFRN Felipe Regif afirmou que o protesto foi pacífico e todas as informações dos participantes haviam sido prestadas na portaria:

“Os relatos dos policiais foram que o reitor interventor justificou que estava ocorrendo depredação ao patrimônio público, mas tudo estava sendo pacífico. Todos os 30 estudantes aqui presentes deram seus nomes e matrícula na portaria do prédio. Nada justifica essa ação agressiva”, afirmou.

Além disso, Regif afirmou que ao contatar o Governo do Estado, os policias receberam ordem de retirada do prédio. No entanto, permaneceram na frente com o mesmo comportamento. Durante o momento da entrevista, os policiais solicitaram que duas estudantes do IFRN os acompanhassem até a delegacia. A intenção seria servir de testemunha.

A vereadora de Natal Divaneide Basílio (PT) informou pelas redes sociais que entrou em contato com o Governo do Estado e confirmou a informação da ordem da governadora Fátima Bezerra para que os policiais se retirassem do prédio.

Estudantes organizaram protesto pacífico contra intervenção e cobrando plano de retomada de aulas (foto: Cedida)

De acordo com o que relatou Felipe, a atuação da PF foi pacífica e se direcionaram para a sala da reitoria.

“Os únicos que agiram de forma bruta foram os policiais militares. A PF chegou muito depois, mas se dirigiu direto à sala do reitor interventor”, afirmou.

O movimento organizado há cerca de uma semana pelos estudantes visava, também, exigir um plano para retomada das aulas em formato remoto. Até o momento, o instituto permanece com as aulas suspensas.

“É um absurdo no dia do estudante, no próprio instituto, ser acionado numa abordagem agressiva. Estávamos em nosso direto, não fizemos nada de errado. Com tudo isso, reforçamos nossa indignação a gestão interventora, se mostrando, na verdade, uma indigestão. Sem propostas de retorno das aulas há quatro meses”, declarou Felipe.

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Allan Almeida
Jornalista potiguar em formação pela UFRN.