TRABALHO

Dia do Gari: Profissionais da limpeza de Natal protestam contra sucateamento da Urbana

Estão na linha de frente, realizam um trabalho essencial e ainda precisam encontrar forças para lutar por respeito e direito à vida. No próximo domingo (16), quando em todo o país se celebra o Dia do Gari, os profissionais responsáveis pela limpeza urbana da capital potiguar realizam um ato em defesa dos empregos e contra o sucateamento da Urbana.

A atividade é uma iniciativa da categoria, com apoio do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Natal (Sinsenat). Marcada para começar às 8h, em frente ao prédio da Urbana, a manifestação acontece em resposta à ameaça de demissão de cerca de mil trabalhadores.

A proposta foi apresentada pela Prefeitura do Natal em audiência na Justiça Federal. A empresa responde a processo por uma dívida de R$ 300 milhões, em razão do não repasse da contribuição previdenciária dos servidores ao INSS.

Além das demissões, a solução apontada pelo ex-secretário-adjunto de Planejamento de Natal, Glauber Nóbrega da Silva passa pela venda de 12 prédios urbanos para quitar uma pequena parte do montante da dívida, empréstimo para pagar as indenizações dos trabalhadores demitidos e entrega para empresas privadas dos serviços de limpeza, varrição, lavação, capinação, roçadeira, coleta, transporte, triagem, tratamento, destinação final dos resíduos, entre outros.

Para os trabalhadores, a estratégia adotada pelas últimas gestões é de sucateamento da empresa, que está há anos com balanças quebradas, sem as ferramentas adequadas para realização dos serviços pela mão-de-obra própria da empresa e com caminhões que rodam abaixo da capacidade máxima. Os servidores reclamam também da ausência de condições adequadas de trabalho, como a falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e de materiais de qualidade para o pessoal de varrição e capinação.

Além disso, os garis da Urbana rechaçam o argumento de um suposto benefício da terceirização dos serviços. Isso porque o ex-secretário-adjunto de Planejamento de Natal, Glauber Nóbrega da Silva, apresentou ao juiz 6ª Vara da Justiça Federal, Marco Bruno Miranda Clementino, números que apontariam maior eficiência dos terceirizados, mas as áreas de coleta domiciliares comparadas não são as mesmas.

Para os garis, não é possível comparar a coleta da Zona Norte com a das demais regiões da cidade, uma vez que são áreas geograficamente diferentes em diversos requisitos. Eles ponderaram, ainda, que a mudança de itinerário do descarte do lixo tem prejudicado a produtividade em razão do aumento do tempo. Os trabalhadores alertam que a verdadeira intenção da gestão municipal é promover o sucateamento da empresa para justificar a privatização do serviço de limpeza urbana em Natal.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *